22º Revezamento Volta à Ilha tem novo recorde nas duplas

Dupla da Companhia dos Cavalos baixa antiga marca em quase dez minutos completando os 140 km em 9h49m. No Geral, D-Run Bionexo (foto), de Campinas, fatura o bicampeonato – Fotos: Christian Mendes/Foco Radical

 

Reunindo quase quatro mil corredores desde às 4h15 no Trapiche da Avenida Beira-Mar foi realizada nesse sábado a 22ª edição do Revezamento Volta à Ilha

Publicidade

E mais uma vez o que se viu na capital catarinense foi uma verdadeira festa do esporte. A chuva apertou nas primeiras horas de prova deixando um clima agradável, mas dificultando muito algumas partes do percurso, especialmente nas trilhas. Porém, para quem encara 140km, um pouco de lama e barro não é nada perto do que os dezessete trechos oferecem aos atletas.

Em todos os pontos da prova era possível ver o clima contagiante entre o público e as equipes. Em quase todos os postos de troca era possível ver a festa das pessoas acompanhando as quatrocentas equipes que participaram do evento. Muitos aplausos e gritos de incentivo ajudavam os corredores a completar os percursos. E foi justamente esse clima de incentivo, aliado as boas temperaturas ao longo do dia que permitiu a dupla gaúcha da Companhia dos Cavalos buscar o recorde da prova, que não veio por poucos minutos em 2016.

Com uma estratégia muito bem definida, a dupla liderou a prova durante todo percurso, sempre com uma vantagem considerável sobre seus principais adversários, os hexacampeões da André Villarinho (GO). Com um ritmo muito forte em todos os trechos e uma logística perfeita, que também é fator fundamental para o sucesso do Revezamento Volta à Ilha, os gaúchos não só venceram a prova como cumpriram a meta de quebrar o recorde. Com 9h49m50s, Ernani Souza e Elson Gracioli estabeleceram a melhor marca da história das duplas.

Em sua estreia na prova, Ernani Souza, que é considerado um dos melhores ultramaratonistas do mundo na atualidade, fez questão de ressaltar o trabalho da equipe após a vitória. “A equipe pode não ser a mais forte, mas o planejamento é fundamental nessa prova. Eu subo razoavelmente bem e o Elson é muito rápido no plano. Porém, o planejamento do nosso técnico e o apoio de fisioterapia e logística foi o que nos fez chegar à vitória e quebrar o recorde”, comenta.

Elson Gracioli também creditou o resultado ao trabalho de equipe. “Eu estou com quase 43 anos e fazer em dupla é algo novo para mim. Já tinha corrido como profissional essa prova e vencido em equipes quatro vezes. O Ernani foi sexto colocado no mundial de montanha ano passado e eu como já fui maratonista conseguia correr mais rápido nos percursos de asfalto. Além disso, a logística foi fundamental. Os atletas dão o 100%, mas se não tivermos apoio a prova não sai perfeita”, completa.

Logo após as duplas, que largaram às 5h, começaram a chegar as primeiras equipes e, assim como em 2016, o título geral ficou com os campineiros da D-Run Bionexo, que completaram os 140 km em 8h45m18s. “O Volta à Ilha foi muito difícil esse ano. Essa foi a minha estreia na prova e eu acabei correndo dois trechos de areia bem difíceis. Não estou acostumado a correr em areia, mas estou mais acostumado com asfalto. O que mais me chamou a atenção foi essa receptividade do público e o visual da prova é incrível. Vou voltar ano que vem”, disse Ricardo da Silva, um dos integrantes da equipe campeã.

Após as equipes mais rápidas completarem o percurso começaram a chegar os demais times participantes do Revezamento Volta à Ilha. Com diferentes perfis de grupos o que se viu foi muita superação e um clima amistoso entre todos. A cada novo grupo de corredores que passava pelo portal uma festa era feita. E assim foi até as 20h30 quando as últimas equipes encerraram o desafio. Após a chegada, festa e descontração na Arena tomaram conta dos participantes.

Confira os campeões de cada categoria:

Geral: D-Run Bionexo (Campinas – SP) – 8h45m18s                      
Aberta: Supermercado Jacomar/ CR Runners (Curitiba – PR) – 9h01m15s
Aberta Mista: Milacki/CR Runners Brasil/Jacomar (Colombo – PR) – 10h15m17s
Feminina: Lebrinha (Cuiabá – MT) – 11h14m09s
Veterana Mista: Clube de Corrida Formacco (Florianópolis – SC) – 10h53m52s
Veterana 40: SupermercadoJacomar /CR Runners (Curitiba – PR) – 9h51m54s
Veterana 50: Os Velhotes (São Paulo – SP) – 10h59m02s
Veterana 60: Chão de Aterro – 12h28m27s
Duplas: Cia dos Cavalos 361º (Porto Alegre – RS) – 9h49m50s

Sobre o Revezamento Volta à Ilha:

Idealizada no ano de 1996 pela Eco Floripa, a Volta à Ilha se caracteriza por ser uma prova de revezamento que desafia as equipes a dar uma volta completa correndo na Ilha de Santa Catarina, capital do Estado. Aprova é dividida em 17 trechos que desafiam os atletas em 140 km de praias, asfalto, dunas e trilhas. As equipes são formadas por dois, oito ou até doze atletas e competem em 8 categorias: Duplas, Aberta, Aberta Mista, Feminina, Veteranas 40, 50, 60 anos e Veterana mista.

Além da participação no asfalto, dunas, trilhas e praias, o sucesso no Revezamento Volta à Ilha requer também um grande trabalho em equipe. Ainda, a prova conta com o acolhedor público da capital catarinense, que vai aos principais pontos da corrida para incentivar os competidores. Todos esses elementos fazem do Revezamento Volta à Ilha a principal competição do gênero na América Latina.

O evento que começou com dezenas de atletas, hoje recebe aproximadamente 4.000 atletas de 14 estados brasileiros e do Mundo. Em 2015, o Revezamento Volta à Ilha completou seu 20º aniversário, consolidando-se no cenário nacional e internacional e agora, para sua 22ª edição a expectativa e ansiedade dos atletas permanece a mesma. A prova se consagrou pela qualidade e pelo profissionalismo da Eco Floripa, que a cada ano se responsabiliza por realizar um evento cada vez melhor e inesquecível.

Informações para imprensa
Danilo Caboclo – 48 9.9177-8099// danilo@gruposix.com.br
Marina Sartori – 48 9.9135-9402/ marina@gruposix.com.br