Sol e altas ondas marcam o encerramento do Circuito Brasileiro de SUP Wave,

Aline Adisaka campeã brasileira de SUP Wave 2016. Foto Luciano Meneghello

Sol e altas ondas marcam o encerramento do Circuito Brasileiro de SUP Wave, realizado no último final de semana em Balneário Camboriú (SC).

Publicidade

Balneário Camboriú (SC) recebeu no último final de semana (04 e 05) os melhores SUP surfistas do Brasil para as disputas da última etapa do Circuito Brasileiro de SUP organizado pela Confederação Brasileira (CBSUP). O “Mormaii apresenta: Circuito Embraed Longboard e Stand Up 2016” apresentou o que há de mais moderno no universo do surfe com remos.

Na água, um verdadeiro show de manobras e muita emoção, afinal, nada menos do que dez títulos nacionais seriam decididos nesta competição. As ondas também fizeram sua parte e desde a primeira baterias formaram a pista perfeita para que o público, presente na praia, ou acompanhando pela internet a transmissão ao vivo, pudesse acompanhar o que há de melhor na modalidade. Inclusive, ao contrário do que acontece na maioria das competições de surfe, em Balneário o mar foi melhorando e aumentando de tamanho à medida que as finais iam se aproximando, garantindo um epílogo digno de campeonato brasileiro.

Nas categorias profissionais, a expectativa era grande. Sobretudo entre os homens, pois, Leco Salazar (SP), que liderava o ranking com boa vantagem, poderia poder o título caso fosse eliminado nas primeiras fases e Luiz Diniz (SP), Adriano Trinca Ferro (SP) ou Wellington Reis (SP), vencessem a disputa.

E logo no início um grande susto para a torcida de Leco, pois o santista acabou caindo para a repescagem enquanto seus adversários diretos seguiam vivos na disputa. Mas sua reação veio em seguida, avançando para as semifinais após um dia de intensas disputas.

No domingo, dia das finais, Leco estava a um passo de conquistar o título, mas Adriano Trinca Ferro e Luiz Diniz estavam inspirados, conquistando, cada um, uma nota dez para chamar de sua!

Se Leco chegasse à final, ninguém mais o alcançava e ele mostrou toda sua veia de competidor ao fazer uma semifinal extremamente técnica contra Caio Vaz (RJ), Ian Vaz (RJ) e Luiz Diniz (SP). Avançaram Diniz, em primeiro, e Leco que, como o resultado, garantiu seu segundo título brasileiro profissional de SUP Wave.

Na grande final, disputada entre Luiz Diniz, Adriano Trinca Ferro, Leco e Carlos Martins (SP), revelação da prova, o mar apresentava ondas com bom tamanho, com cerca de um metro e algumas maiores na série.

Diniz conquistou uma nova nota dez logo no início da disputa, enquanto Leco surfou duas ondas muito boas e aproximando-se de Diniz. Trinca Ferro e Carlos Martins estavam em busca de uma onda “salvadora” que não aparecia.

Na segunda metade da disputa, Trinca, que já havia surfado oito ondas, finalmente encontrou uma boa esquerda e conseguiu os pontos suficientes para avançar à segunda colocação.

Martins, por sua vez, só conseguiu encontrar uma boa onda nos minutos finais da bateria, mas já não havia mais tempo e a vitória foi conquistada por Luiz Diniz, seguido por Adriano Trinca Ferro na segunda colocação, Leco Salazar em terceiro e Carlos Martins em quarto.

Entre as mulheres, a situação era mais favorável à líder Aline Adisaka (SP). Com uma etapa a mais do que suas adversárias mais fortes, Nicole Pacelli e Louisie Frumento, Aline só perderia o título se fosse eliminada na primeira rodada e sua adversária mais próxima no ranking, Madu Lula (SP), vencesse a etapa.

Madu, no entanto, parou nas semifinais e Aline seguiu firme para a finalíssima onde enfrentou Nicole Pacelli (SP), Louisie Frumento (SP) e Larissa Barbieri (SC) em uma final bem movimentada. Louisie assumiu a liderança no início, mas Aline soube escolher bem as suas ondas e aplicando poderosas batidas de frontside para assumir a liderança da bateria garantindo mais um título à sua carreira. Nicole Pacelli e Larissa Barbieri não conseguiram encontrar boas ondas na final e terminaram, respectivamente, na terceira e quarta colocação.

Nas demais categorias, Evandro Santos (SC) venceu a Master e também ficou com título Brasileiro, Chicó Moura (RN), venceu a Super Master, Angela Bauer (SC) venceu a Master Feminino, Roberto Vincentim (RS) a Amador Open, Larissa Barbieri (SC) venceu a Amador Feminino, Kauan Terra (SP), a Junior e Takeshi Oyama (SC) a Kids.

O ranking completo de todas as categorias pode ser conferido no site da Confederação Brasileira de SUP (CBSUP): www.cbsup.com.br

Em meio a um ano de crise econômica, a CBSUP provou que com profissionalismo e união entre entidade, atletas e empresários, é possível superar as adversidades para a criação de um circuito bem sucedido e, assim, contribuir para o fortalecimento do stand up paddle brasileiro.

Que venha 2017!

Fotos por Carlos Martins e Luciano Meneghello

Por Pulso Assessoria

Galeria de Imagens