Lucas Silveira focado para o Hang Loose Pro Contest

(Foto em destaque: Masurel/WSL)

O Hang Loose Pro Contest começa na próxima terça-feira, dia 1º de novembro, e o campeão mundial Pro Junior Lucas Silveira já está na expectativa para prestigiar a celebração do trigésimo aniversário do evento histórico de 1986, na Praia da Joaquina, em Florianópolis.

Publicidade

“É um grande evento com muita história e bem perto de casa. Quero muito ir bem nesse campeonato, a primeira edição dele foi há 30 anos na mesma praia da Joaquina e teve altas ondas. Quem sabe não se repete o feito”, comentou Lucas, que mora desde moleque em Floripa com a sua família.

Mais de 150 surfistas de 22 países se inscreveram no último evento importante do WSL Qualifying Series, antes do encerramento da temporada no Hawaii. A maioria dos inscritos é de estrangeiros, 92 contra 60 brasileiros, sendo nove o número de surfistas da divisão de elite.

lucas-cascais-pollenot-1Lucas voando nas ondas de Cascais, Portugal. Foto: Poullenot/WSL.

Lucas tem se preparado bastante para alcançar mais um resultado, desta vez, literalmente em casa. “Os treinos estão bem puxados nessas semanas, antes da competição, aproveitando bem lá mesmo na Joaquina e trabalhando bastante a parte física. Estou fazendo de tudo para estar na melhor forma possível durante o evento”, garantiu.

No pódio do Lacanau Pro com Joan Duru, Marc Lacomare e Maxime Huscenot. Foto: Masurel/WSL.

Segundo o atleta, a vantagem de competir na Joaquina é que, além da onda ser muito boa, ele pode dormir bem, estar com a sua família e confortável por já conhecer bem o pico. Lucas garante também que não ter problemas para se adaptar ao fuso horário e ao que acontece quando se está do outro lado do mundo.

E em relação ao seu quiver, o carioca diz que vai usar as mesmas pranchas que disputou as últimas competições, as que já estão “no pé”, para poder curtir as esquerdas clássicas da Joaquina. “Se rolar boas ondas, o power surf vai ser bem valorizado, pois a onda tem bastante parede e proporciona manobras bem fortes. Mas se tiver menor, a onda também funciona para o aéreos. Então, acho que vamos ter de tudo”, finaliza Lucas.

O atleta em ação durante a o Lacanau Pro. Foto: Masurel/WSL