Etapa final do Java Matadeiro Pro/Am adiada para a segunda-feira

A etapa final do Circuito Java Matadeiro Pro/Am vai definir o campeão catarinense profissional de 2016 pela primeira vez na história do circuito estadual mais antigo do país.

Com a previsão de uma melhor combinação de vento e ondulação para o início da semana, a etapa final do Circuito Java Matadeiro Pro/Am, que pela primeira vez vai decidir o título de campeão catarinense profissional, ficou para ser disputada na segunda-feira, a partir das 8 horas na Praia do Matadeiro, em Florianópolis (SC). Inicialmente programado para ser realizado neste fim de semana, a comissão técnica da Federação Catarinense de Surf (FECASURF) e a Associação de Surf da Armação e Matadeiro (ASM), que organiza o evento, decidiram priorizar a qualidade das ondas para que os surfistas possam mostrar todo o seu potencial nas baterias e adiou a competição.

Publicidade

“Na segunda-feira, deve entrar um bom swell (ondulação) de sudeste e ventos brandos durante a manhã, com boas condições para definir o campeão catarinense profissional nessa etapa única do Matadeiro”, disse Fabiano Farias, diretor técnico da Federação Catarinense de Surf (FECASURF). “O Matadeiro é uma praia que possui boas esquerdas e direitas, sempre com picos abrindo, para os maiores talentos do surfe catarinense fazerem o seu melhor. A parte técnica já está toda formada com os melhores juízes de Santa Catarina e do Brasil e contamos com a ajuda de todos para fazer um grande evento”.

Atualmente atuando como juiz de surfe, Fabiano Farias foi o vencedor da única etapa do Circuito Catarinense Profissional disputada até então na Praia do Matadeiro quase 20 anos atrás. Ele relembra um pouco daquele histórico Besc Bad Boy Pro em 1997, pois hoje está do outro lado, comandando a comissão julgadora que vai definir o campeão catarinense de 2016 numa das praias mais bonitas da Ilha de Santa Catarina.

“Eu tinha recém-chegado da perna europeia do Qualifying Series, vim direto de Portugal pra cá para participar dessa etapa”, conta Fabiano Farias. “As ondas estavam com cerca de 1 metro, com esquerdas abrindo, foi um campeonato bem disputado, com os melhores de Santa Catarina e muitos de outros estados também, porque o resultado valia pelo Brasileiro. A final foi bem disputada, com o James Santos, Carybean Heleodoro e Ivan Junkes. Naquele tempo, ainda eram computadas as três melhores ondas e somei duas notas acima de 8 e um 7 e pouco para vencer. O James ficou em segundo, o Carybean em terceiro e o Ivan em quarto. Foi um evento bem legal e é muito bom ver o Matadeiro com uma etapa profissional novamente”.

Fabiano Farias também falou mais sobre a Praia do Matadeiro: “É uma praia que possui uma das melhores esquerdas de pico de Floripa, com ondas muito manobráveis. É um lugar que, assim como a Praia do Campeche e outras do Sul da Ilha, revela bastante talentos, como o Luan Wood, atual campeão mundial Junior da ISA e que já foi campeão sul-americano Pro Junior da WSL South America, o Beto Mariano de uma geração mais antiga também, entre outros. É uma praia muito boa para treinar, para fazer eventos, é uma das maravilhas do Sul da Ilha de Florianópolis e acredito que o Matadeiro Pro será de alto nível”.

Com o adiamento do Java Matadeiro Pro/Am para a segunda-feira, ainda é possível fazer a inscrição para disputar a premiação de R$ 10.000 oferecida para os mais bem colocados na categoria profissional e os kits e pranchas da amadora, até completar o número limite de participantes. Surfistas de todo o país podem competir e ainda tem vagas para serem completadas em ambas as categorias.

O Java Matadeiro Pro/Am será apresentado pela SRS, com apoio da SDA, sendo homologado pela Federação Catarinense de Surf (FECASURF) para definir o título estadual profissional e pela Associação Brasileira de Surf Profissional (ABRASP). Na Praia do Matadeiro não passam carros e nem ruas, o único acesso é por uma trilha de cerca de 200 metros. A praia tem esse nome porque décadas atrás era utilizada para a caça de baleias. Ela fica localizada numa área de proteção ambiental entre as praias da Armação e Lagoinha do Leste no Sul da Ilha de Santa Catarina, sendo bastante frequentada por surfistas pela força das suas ondas.

INSCRIÇÕES – As inscrições continuam abertas para qualquer competidor, inclusive dos outros estados do país e também para a categoria amadora, devendo ser feitas online exclusivamente pelo link – https://goo.gl/forms/9HQuSi8Z0Gzldt742

Além dos R$ 190,00 da inscrição na etapa final do Circuito Java Matadeiro Pro/Am, os atletas profissionais do Estado terão obrigatoriamente de pagar a taxa de filiação na Federação Catarinense de Surf do ano de 2016, no valor de R$ 120,00, para poder receber a premiação integral conquistada no evento, bem como computar os pontos no ranking estadual de 2016.

PREMIAÇÃO – Um total de R$ 10.000,00 em dinheiro será dividido entre os mais bem colocados no Java Matadeiro Pro/Am. Para receberem a premiação conquistada, todos os atletas terão que apresentar o documento com número do CPF. Os profissionais filiados à FECASURF ganharão a premiação integral, mas os amadores só receberão 50% do valor.

Video da primeira etapa do Circuito Java Matadeiro Pro de 2015:

———————————————————–

Por João Carvalho – JBC Notícias e Assessoria

(48) 999-882-986 – jbcsurfnews@hotmail.com

Assessoria de Imprensa do Java Matadeiro Pro/Am

———————————————————–

CAMPEÕES CATARINENSES PROFISSIONAIS DA FECASURF:

2015: André Moi (SC)

2014: Marco Giorgi (URU)

2013: Tomas Hermes (SC) bicampeão

2012: Yuri Gonçalves (SC)

2011: Tiago Bianchini (SC)

2010: Tomas Hermes (SC)

2009: Tânio Barreto (AL)

2008: Marco Polo (SC) bicampeão

2007: Marco Polo (SC)

2006: Diego Rosa (SC) bicampeão

2005: Jean da Silva (SC)

2004: Diego Rosa (SC)

2003: Raphael Becker (SC)

2002: Neco Padaratz (SC)

2001: Fabio Carvalho (SC) bicampeão

2000: James Santos (SC) bicampeão

1999: Guga Arruda (SC) bicampeão

1998: Teco Padaratz (SC)

1997: Luli Pereira (SC)

1996: James Santos (SC)

1995: Guga Arruda (SC)

1994: Junior Maciel (SC)

1993: Fabio Carvalho (SC)

1992: Carlos Santos (SC)

1991: não houve circuito

1990: Saulo Lyra (SC)

1989: Ivan Junkes (SC) bicampeão

1988: Icaro Cavalheiro (SC)

1987: Ivan Junkes (SC)

1986: Luiz Neguinho (SC)

1985: Waldemar “Bilo” Wetter (SC)

1984: David Husadel (SC) tricampeão

1983: David Husadel (SC) bicampeão

1982: David Husadel (SC)

1981: Picuruta Salazar (SP)

1980: Roberto Lima (SC)