Pedro Oliveira busca pentacampeonato no SP Contest

Pedro Oliveira. Foto Divulgação

Local do Quebra-Mar, Pedro Oliveira busca pentacampeonato no SP Contest, que terá início a partir das 9 horas de sábado, na praia do Tombo, Guarujá (SP). As disputas começam com a categoria Open e inclui também confrontos na Junior, Master, Grand Master, Open Local, Sup e Feminino.

Publicidade

Criado nas ondas do Quebra-Mar, Oliveira, 41 anos, vem de vitória na Master e busca o pentacampeonato na 17ª temporada do circuito. Na segunda posição esta Alex Miranda, em terceiro Cadu Piolho e em quarto Marco Tuba. “Nos cinco anos que corro esta categoria, posso afirmar que este é o de nível mais forte”, destaca Oliveira.

“Minha expectativa é a melhor. A previsão mostra que teremos boas condições de ondas na praia do Tombo. A competição é muito acirrada, pois todos são surfistas experientes e podem ganhar”, comenta ele, campeão do ranking em 2013, 2014, 2015 e 2016.

Ele conta que o Tombo é um dos seus locais favoritos de treino. “Já está na minha rota é um local que gosto por estar mais próximo de SP, uma praia especial para mim e ter um bom resultado seria incrível”, revela.

Oliveira começou a surfar em Santos, no final dos anos 80. “Com a ajuda de meu pai, fiz final na Iniciantes logo no primeiro campeonato que disputei (o paulista amador, naquela época Lightning Bolt). Em meados de 2000 fui morar em São Paulo e foi lá que tive mais oportunidades. A vida corrida de trabalho e estudos te deixa muito mais pilhado para surfar. Mas, sempre que o mar sobe corro para as ondas do Quebra-Mar”, comenta ele, que acumula viagens pelo Peru, México, Chile, Hawaii, Indonésia, El Salvador e Maldivas.

O surfista conseguiu manter o lifestyle do esporte no seu dia a dia na capital, pois trabalhou com lojas e marcas do segmento, e agora atua como surf coaching.‘Comecei com uma viagem para as Maldivas este ano, ao lado do fotógrafo santista Sebastian Rojas, e foi um sucesso. Produzo viagens curtas, de uma semana para surfistas que trabalham e tem pouco tempo para as surf trips. Faço um intensivo para a evolução com vídeos e toques dentro d’água sobre posicionamento na prancha e no pico, tudo o que ele precisa para evoluir a curto prazo”, explica.

Também lideram o ranking Renan Castro (Open), Felipe Gaspar (SUP), Fábio Bacalhau (Longboard), Fredy Jacob (Grand Master), Philipe Neves (Júnior) e Yohana Sarandini (Feminino).

Por Nancy Geringer