Osklen Surfing Arpoador Classic 16

Osklen Surfing Arpoador Classic 16

Mais uma vez o Arpex se vestiu a caráter para a realização do seu campeonato mais tradicional, o OsklenSurfing ARPOADOR CLÁSSICO 16.Uma sólida ondulação de SSE atingiu o litoral carioca no último fim de semana de Julho, proporcionando condições desafiadoras para os mais de 100 atletas participantes, que se dividiram entre as categorias Open (aberto), Grand-Master (40 anos+), Feminino local, Legends local (50 anos+), e Tag-Team.No primeiro dia, sábado 30/08, a direção do swell mais inclinada a sul resultou em ondas mais rápidas e cavadas. Com séries na faixa dos 2 metros (e algumas maiores de 2,5 m+), as condições favoreceram os surfistas mais atirados, com destaque para o vencedor da triagem Open, o goofy Floriano Pinheiro, surfista de Niterói acostumado com as condições pesadas de Itacoatiara, que fez duas notas acima de 8 pontos. Também se destacaram na Open: Maxime Perelmuter, com o surf no pé após retornar de uma temporada na Indonésia, e o surfista do morro do Cantagalo Magno Neves Nem, que tirou a única nota 10 do dia com um tubo profundo seguido por boas batidas finalizando a onda (onda de abertura do vídeo do primeiro dia). Na Grand-Master o maior destaque ficou por conta do regular-foot Marcelo Bôscoli, que se atirou nas maiores e usou a borda para fazer belos arcos. Em seguida, compondo os quatro primeiros, ficaram Mario Marinho, Fernando Xará e Betinho Dengue.

Publicidade

As condições pesadas também resultaram em algumas contusões, caso dos surfistas Guilão e Gustavo Capanema, que por conta disso não voltaram para o segundo dia.

No segundo dia, domingo 31/08, o swell virou mais para SE, acertando melhor na bancada do Arpoador e proporcionando altas ondas até as finais. Logo na primeira bateria da Open, quem se deu bem foi um ex-campeão do Clássico, o surfista local Rafael Cury. Com dois tubos na mesma onda (onda de abertura do segundo vídeo), Rafinha obteve a nota máxima logo na sua primeira descida, e ainda colocou mais duas notas excelentes na sua somatória (9,60 e 8,00), ficando com a maior média dentre todos os atletas participantes da 1ª Fase (média das 4 melhores ondas obtidas nos dois dias). Os outros três classificados para a final Open foram: Floriano Pinheiro, Maxime Perelmuter e Fabiano Passos, que ultrapassou o Magno Nem por apenas 2 centésimos.

Na Grand-Master, o destaque do 2º round foi o surfista local João Paulo Veiga, que conseguiu colocar três notas boas na sua somatória para se classificar para a final, junto com Marcelo Bôscoli, Mario Marinho e Bruno Brocá.

Um momento de tensão foi quando um turista desavisado escorregou e caiu dentro da fenda do Pontão do Arpoador. Instrutor de surfe local e segurança d’água do campeonato, Jean Carlos, correu para socorrê-lo a tempo, antes que uma série grande atingisse a pedra com força. Alguns arranhões foram ferimentos leves diante da tragédia que poderia ter acontecido. Um alerta para as autoridades sobre a necessidade de se interditar alguns pontos da pedra durante as grandes ondulações.

As finais começaram com os veteranos da Legends Longboard, com destaque para Roberto Coelho que foi o único a dropar uma lá de fora (atrás do jacaré) e atacar a onda com uma bela rasgada cravando a borda. A nota 8 o colocou no topo do pódio, seguido por Gagoo (2º), Mauro Levy (3º) e Ricardo Sirotsky (4º). Com esta vitória, Coelho não pode mais ser alcançado no ranking, e já é campeão antecipado da temporada 2016 do Arpoador.

Em seguida, vieram as meninas do ASC para a final Feminino. A disputa foi equilibrada e a vantagem foi para Mari Taboada (1ª), que acabou pegando a melhor onda da bateria (6,37). Completaram o pódio: Irene (2ª), Monika Takaki (3ª) e Ariane Mateik (4ª), que competiu grávida de 6 meses. Com esta vitória, Mari ultrapassa pela primeira vez no ano a Ariane e segue firme para conquistar o título da categoria. As únicas que ainda têm chances são a Ariane (que devido à gravidez está praticamente fora) e a Irene, que precisa vencer e torcer para a Mari ficar em 3º lugar (ou pior) no último surf-treino do ano.

Na final Grand-Master, João Paulo (1º) fez valer seu maior conhecimento do pico e pegou as melhores ondas da bateria, executando belas rasgadas para superar Marcelo Bôscoli (2º), que surfou muito o campeonato inteiro. Completaram o pódio Mario Marinho (3º) e Bruno Brocá (4º). No ranking atualizado, Bôscoli segue em primeiro seguido de perto por Marinho. Além destes, ainda tem boas chances de ficar com o título no fim do ano o campeão da primeira etapa de 2016, Léo Leite (11º nesta etapa), e Bruno Brocá, que já fez duas finais nesta temporada.

A final Open foi para a água com o local Rafael Cury em vantagem sobre os demais componentes da bateria. No sistema de competição do ASC, os finalistas carregam consigo a média da 1ª Fase, e a do Rafinha era a maior (8,60), seguido por Floriano Pinheiro (7,23), Maxime Perelmuter (6,80), e Fabiano Passos (6,46). Único surfista ‘forasteiro’ na final, Floriano Pinheiro (1º) em determinado momento acabou ficando livre no pico para pegar a melhor onda da bateria, uma bela esquerda em que ele preencheu com 4 manobras fortes e bem definidas, pontuada na casa do excelente pelos juízes (9,17). Com esta onda, Floriano ultrapassou o Rafael Cury (2º), que estava administrando sua vantagem e não arriscou muito. Completaram o pódio Maxime Perelmuter (3º) e Fabiano Passos (4º). Além de vencer o campeonato mais tradicional do Arpex e de pegar altas ondas nos dois dias, Floriano foi premiado com uma prancha de surf Kronig Designs / First Glass, kit de roupas da OsklenSurfing, acessórios da Art in Surf, pilates na Ipanema Fisio, e, para finalizar (e ajudar na comemoração), uma caixa de cerveja Praya. Também enriqueceram a premiação dos nossos finalistas a The Bar Surfshop e Chopp, Artesanal Produtos Naturais, Juçaí Orgânico, Carver Skateboards, e Soul Traveler. Com estes resultados, o vencedor da primeira etapa do ano, Pablo Becker (7º no Clássico), segue líder do ranking. Ainda ameaçam o bicampeonato do Pablo: Anderson Picachú (2º), que entrou em todas as etapas como trialista, Bruno Coutinho (3º) e Rafael Cury (5º), ambos com um resultado a menos.

Finalizando o campeonato com muita descontração, rolou uma disputa de equipes (Tag-Team) formadas por três homens e uma mulher. A equipe da Rocinha (São Conrado) ficou em quarto, perdendo para equipes locais. O time campeão, vencendo por larga margem os demais, foi composto por Gabriel Mureb, Jefferson China, Bernardo Bordovsky e Gabriela Pulcherio.

Contrapartidas socioambientais

Aproveitando esta grande confraternização no berço do surfe brasileiro, o ASC promoveu mais uma ação de conscientização ambiental (a quarta do ano), o Mutirão de Limpeza do Arpoador, recolhendo micro lixo das areias da praia. Muitos atletas participaram, mas, aquele que recolheu mais lixo foi um bodyboarder local Igor Dias Barbosa, que ganhou a camisa do campeonato como prêmio.

E além de oferecer inscrições de cortesia a atletas oriundos do complexo que engloba as favelas do Cantagalo e do Pavão-Pavãozinho, e investir no processo de capacitação do pessoal local (também das comunidades) para o trabalho em eventos esportivos, o ASC recolheu dos atletas inscritos no campeonato em torno de 100 kg de alimentos não perecíveis para serem doados na comunidade conhecida como ‘Vietnã’, uma das áreas mais necessitadas do morro do Cantagalo.

Próxima etapa (última de 2016)

A próxima e última etapa de 2016 (ainda com status de tentativa, pois carece da entrada de um co-patrocinador) será o 3º Surf-Treino, em Outubro.

O Circuito Arpoador Surf Club | OsklenSurfing 2016 é uma realização da associação dos surfistas do Arpoador –Arpoador Surf Club – A.S.C. em parceria com a OsklenSurfing, e conta com o apoio de:

The Bar Surfshop e Chopp

Art in Surf

Kronig Designs & First Glass

Carver Skateboards

Juçaí Orgânico

Artesanal Produtos Naturais

Cerveja Praya

Soul Traveler

Ipanema Fisio

Apoio institucional: E-Brigade, FESERJ, e Subprefeitura Zona Sul.

Agradecimentos: Soul Traveler, Casa2imagem, Prefeitura do Rio, 3º SGMAR, 14ª Delegacia De Polícia Civil, 23º Batalhão De Polícia Militar, Favela Surf Clube, e FESERJ.

O Arpoador Surf Club também agradece aos atletas e à nossa equipe de trabalho (staff) nesta etapa (organizador/diretor de prova: Guilherme Aguiar; coord. local: Alexandre Pretão; produtor: Magno Mexicano; juízes: Paulo Dolabella, Márcio Peruca, Ismael Miranda, Denílson Tiola, Simão Romão; locutor: Henrique Prates; beach-marshall: Roberto Mé e Alexandre Rascunho; chefe de segurança: Jean Carlos; segurança de água: Fabiano Pereira Bicudo; apoio terra: Rodrigo Tico, Ewerton Marques, e Bimbo; imagens: Daniel Quintanilha, Rafael Garcia, Ana Paula Vasconcelos e Bárbara Becker), e a toda a galera local que apoiou e prestigiou. Muito obrigado!

Evento: OsklenSurfing ARPOADOR CLÁSSICO 16

Data: 30-31/08

Resultados finais:

Open

1º         Floriano Pinheiro

2º         Rafael Cury

3º         Maxime Perelmuter

4º         Fabiano Passos

Grand-Master

1º         João Paulo Veiga

2º         Marcelo Bôscoli

3º         Mario Marinho

4º         Bruno Brocá

Legends local

1º         Roberto Coelho

2º         Gagoo

3º         Mauro Levy

4º         Ricardo Sirotsky

Feminino local

1º         Mari Taboada

2º         Irene

3º         Monika Takaki

4º         Ariane Mateik

Tag-Team

1º         Gabriel Mureb | Jefferson China | Bernardo Bordovsky | Gabriela Pulcherio

2º         Pablo Becker | Gabriel David | Anderson Picachú | Mari Taboada

3º         Jean Carlos | Rafael Cury | Leo Leite | Irene

Resultados completos: http://goo.gl/VoeQWa

Notas das baterias: http://goo.gl/nlMW72

Rankings atualizados: http://www.arpoadorsurfclub.com/ranking/

Por Guilherme Aguiar | Presidente Arpoador Surf Club – A.S.C. | Associação (civil sem fins lucrativos e políticos) dos surfistas da praia do Arpoador (RJ)

Galeria de Imagens