Luan Hanada é o supercampeão no Rip Curl Guarujaense de Surf 2016

 

TÍTULO FOI CONQUISTADO NA PRAIA DO TOMBO, EM CONDIÇÕES DESAFIADORAS DE ONDAS, E COMO PRÊMIO, GARANTIU 1 PASSAGEM AÉREA PARA A INDONÉSIA

Publicidade

 

Um dos jovens talentos revelados em Guarujá entrou para a história do surf da cidade. Aos 14 anos, Luan Hanada sagrou-se neste domingo (25), o supercampeão do Rip Curl Guarujaense de Surf 2016 e para valorizar ainda mais o título especial, vencido em condições desafiadoras, com ondas de 6 a 8 pés (cerca de 2,5 metros) sólidos.

A disputa é realizada entre os campeões municipais da temporada, numa bateria única e a revelação do Monduba, na Praia de Pitangueiras, liderou a finalíssima desde o início, sabendo escolher bem as ondas. O placar foi apertado, 10,76 contra 10,13 de Carlos Eduardo, e 9,26 de Matheus Mariano. Como prêmio, Luan faturou uma passagem aérea para a Indonésia, oferecida pela Qatar Airways, em parceria com a Ocean Travel, e escreveu seu nome no troféu que ficará exposto na sede da Rip Curl.

“Realizei o meu sonho. Estou muito feliz. Estava difícil lá dentro, com todo mundo surfando bem, mas entrei relaxado e esperei as boas”, vibrou o supercampeão, dedicando ao título ao pai, Binho Hanada, também competidor e que tentava o bicampeonato master no campeonato. “Com certeza, ele foi a razão de eu ter garantido esse título. Me ajuda em tudo. O que eu tenho é graças a ele”, agradeceu.

Binho, por sua vez, resumiu bem a emoção de ver o filho supercampeão, com a disputa acirrada até o final. “Pô! Querem me matar do coração?”, brincou o pai, que colocou Luan em cima de uma prancha logo aos três anos de idade na Praia de Pitangueiras. “Com dez anos comecei a levar a sério. Esse título vai ser um grande impulso e agora é treinar mais e seguir carreira”, disse.

O título de supercampeão foi decidido por seis dos nove campeões municipais da temporada. Luan garantiu a vaga ao faturar o ranking da mirim. Carlos Eduardo, o Inhonho, foi o melhor da open e Matheus Mariano garantiu o bicampeonato júnior. Juntos, estavam na grande final Juquinha Júnior, campeão da iniciante e que terminou em quarto na decisão especial; Tekinho do Tombo, número 1 da master e o quinto na finalíssima; e Daniel Farias, o melhor guarujaense na longboard, ficando em sexto.

O Circuito ainda teve como campeões da temporada Luiz Diniz, no Sup Wave (e que também ficou em terceiro na open); Stephanie Frumento (irmã de Juquinha), na feminina; e os santistas Yuri Beltrão, na estreante e Leco Salazar, na longboard (e vice no Sup). Diniz e Leco chegaram a duas finais na etapa, assim como Eduardo Motta, vencedor da iniciante e segundo na mirim. Vale ressaltar as vitórias no Tombo de dois ícones – Jojó de Olivença na master e Carlos Bahia na longboard.

O head judge do evento, Mauro Rabellé, destacou as condições do mar, com ondas chegando aos 2,5 metros. “Este tipo de mar, apesar de ondas boas, faz o atleta ter estratégia diferente em termos de tempo, até onde vai, pelo retorno ao outside. Força a ter outro plano, que não seja só surfar bem a onda”, explicou.

Na definição das vitórias na etapa, antes da grande atração do Circuito, o supercampeão, a estreante foi a primeira a entrar no mar. Yuri Beltrão repetiu a vitória, vencendo com grande vantagem, para ser o campeão geral, com Everton Freitas sendo o segundo na etapa e erguendo o título guarujaense.

Na sequência, foi a vez dos surfistas da iniciante e Eduardo Motta, ausente na etapa inicial, por estar na viagem para a Indonésia, venceu com folga. Abriu a bateria com um 7,83. Na segunda onda, ele perdeu a prancha, mas teve tempo de pegar outro equipamento, voltar e garantir o primeiro lugar. Juquinha Júnior, filho do experiente shaper, Luiz Juquinha, repetiu o segundo lugar, sagrando-se o campeão do ranking 2016.

Na feminina, Stephanie Frumento garantiu o segundo título à família, sem ser ameaçada na bateria. Na mirim, Luan Hanada competiu com o título assegurado e mostrando que estava em grande dia, abriu a bateria com a melhor nota da disputa, 5,67. Eduardo Motta, em sua segunda final, fez um 4,67 e tentou buscar a vitória, até que o líder ampliou o placar, faltando dois minutos, com uma nota 4,77, para comemorar o título.

Na longboard, sem atletas da Cidade na final, Leco Salazar também entrou na água como o campeão geral, mas viu Carlos Bahia vencer a disputa. O surfista de São Sebastião, inclusive, teve a maior somatória da competição ainda no round 1, com nada menos que 18,50 pontos de 20 possíveis, com notas 9 e 9,5, mostrando grande sintonia com as ondas do Tombo.  O santista terminou em terceiro e o melhor guarujaense no Circuito foi Daniel Farias, que ficou em quinto lugar.

Entre os veteranos da master, o bicampeão brasileiro e ex-integrante do WCT, Jojó de Olivença superou o novo campeão do Circuito, Tekinho do Tombo, por uma diferença mínima – 7,77 a 7,54. No Sup Wave, uma final de alto nível, inclusive com o campeão mundial da categoria, Leco Salazar. Luiz Diniz entrou no mar confiante depois da melhor nota do evento, na semi, um 9,77 e quase repetiu o score, com 9,67, que lhe garantiu grande vantagem sobre os rivais. No último minuto, Leco conseguiu uma boa onda e passou de terceiro para segundo.

Na júnior, Matheus Mariano, em busca do bicampeonato, abriu com 6,27 e confirmou o novo título com um 7, a melhor nota da bateria. Vitor Mendes foi o principal rival, com um 5 e um 6,4, enquanto que Alax Soares competiu contundido (torção no tornozelo) e mesmo no sacrifício, ainda garantiu o terceiro lugar.

Depois, na open, mais emoção. Carlos Eduardo saiu na frente, com 7,83, viu Gabriel André virar o resultado, recuperou a liderança e novamente caiu para segundo, até que faltando pouco mais de um minuto, pegou uma esquerda, abrindo com uma rasgada para voltar ao primeiro lugar. Precisava de 5,04 para vencer e tirou 6,10. Gabriel André, logo depois, também pegou uma esquerda, atacou o lip da onda, mas não conseguiu reverter o placar. Luiz Diniz em sua segunda decisão no dia, terminou em terceiro lugar, mostrando grande preparo físico.

Já na grande final do Circuito, Luan Hanada saiu na frente, com um 4,83. Matheus Mariano fez um 3,63. Carlos Eduardo foi o que mais se aproximou, com um 4,70, mas o novo supercampeão ampliou o resultado, com um 5,93. Daniel Farias ocupava o segundo lugar até que Carlos Eduardo surfou outra boa onda, com 5,43 para assumiu a vice-liderança, precisando de 5,34 para vencer. No final, surfou outra onda, que não foi suficiente para virar – 4,53.

Fora do mar, o evento teve como destaque a distribuição de mudas nativas da região ao público. Os competidores puderam fazer aquecimento e preparação física, com treinamento funcional na Estação Flex Academia e Unaerp. Outra ação foi voltada para colaborar diretamente com a comunidade, com a arrecadação de um quilo de alimentos de cada atleta participante, como parte da inscrição, para doação ao CRPI – Centro de Recuperação da Paralisia Infantil e Cerebral de Guarujá.

O gerente de marketing da Rip Curl, Fernando Gonzalez, fez uma avaliação positiva do Circuito. “O evento desse ano confirmou a força do surf guarujaense. Tivemos duas etapas, com boas ondas, tanto no Canto do Maluf quanto aqui no Tombo, com condições desafiadoras nesse final de semana. São nove categorias, então é um campeonato que dá oportunidade para várias faixas etárias e vários níveis de surf. Que procura revelar e ajudar os surfistas de Guarujá e é um prazer para a Rip Curl completar esse oitavo ano de patrocínio e mais uma vez tendo a oportunidade de se envolver com a comunidade e o meio ambiente da Cidade onde a empresa está instalada”, avaliou Fernando Gonzalez.

O Rip Curl Guarujaense de Surf 2016 foi uma realização da Associação de Surf de Guarujá, com patrocínio da Rip Curl, copatrocínios da Prefeitura Municipal de Guarujá/ Secretaria Municipal do Esporte e Lazer, Ocean Travel e Qatar Airways. Apoios: Shaper Neco Carbone, New Advance, Helio Coconuts Hot Wave, Seeds of Sea Surfboards, Flex Academia, Náutica Tintas Fiberglass e Eco Print. Supervisão da Federação Paulista de Surf. Cobertura da Hardcore e divulgação da FMA Notícias.

 

SUPERCAMPEÃO GUARUJAENSE 2016

1 Luan Hanada – 10,76

2 Carlos Eduardo – 10,13

3 Matheus Mariano – 9,26

4 Juquinha Júnior – 6,70

5 Tekinho do Tombo – 6,60

6 Daniel Farias – 6,50

 

RANKING FINAL 2016

OPEN

1 Carlos Eduardo – 2.000

2 Gabriel André – 1.800

3 Luiz Diniz – 1.539

4 Marcio Pitcho – 1.240

 

JÚNIOR

1 Matheus Mariano – 2.000

2 Alax Soares – 1.710

3 Vitor Mendes – 1.556

4 Théo Fresia – 1.466

 

MIRIM

1 Luan Hanada – 2.000

2 Júnior Siqueira – 1.556

3 Victor Hugo – 1.385

4 Tarcísio Souza – 1.341

 

INICIANTE

1 Juquinha Júnior – 1.800

2 Diego Oliveira – 1.539

2 Derek Matos – 1.539

4 Derek Moura – 1.312

 

ESTREANTE

1 Yuri Beltrão (Santos) -2.000

2 Everton Freitas – 1.556 – campeão guarujaense

3 Rian Araújo – 1.539

4 Arthur Goulart – 1.466

 

MASTER

1 Tekinho do Tombo – 1.900

2 Ricardo Pupo – 1.629

3 Binho Hanada – 1.466

4 Jojó de Olivença – 1.387

 

FEMININA

1 Stephanie Frumento – 1.656

2 Terena Assis – 1.466

3 Erica Lima – 1.458

4 Melissa Policarpo – 1.187

 

LONGBOARD

1 Leco Salazar (Santos) 1.810

2 Daniel Farias – 1.466 – campeão guarujaense

3 Marcelinho do Tombo – 1.187

4 Adriano Lima – 1.062

 

SUP WAVE

1 Luiz Diniz – 2.000

2 Leco Salazar (Santos) – 1.800

3 Wellington Reis (São Sebastião) – 1.620

4 Leandro Alemão (São Sebastião) – 1.385

 

RESULTADOS DA 2ª ETAPA

OPEN

1 Carlos Eduardo

2 Gabriel André

3 Luiz Diniz

4 Waldemir Oliveira

 

JÚNIOR

1 Matheus Mariano

2 Vitor Mendes

3 Alax Soares

4 Herbert Moreno

 

MIRIM

1 Luan Hanada

2 Eduardo Motta

3 Guilherme Jesus

4 Vinicius Parra (Santos)

 

INICIANTE

1 Eduardo Motta

2 Juquinha Júnior

3 Diego Oliveira

4 Derek Matos

 

ESTREANTE

1 Yuri Beltrão (Santos)

2 Everton Freitas

3 Rian Araújo

4 Naysonn Brandonn

 

MASTER

1 Jojó de Olivença

2 Tekinho do Tombo

3 Fabiano Roberto

4 Ricardo Pupo

 

FEMININA

1 Stephanie Frumento

2 Renata Monteiro (Mongaguá)

3 Terena Assis

4 Erica Lima

 

LONGBOARD

1 Carlos Bahia (São Sebastião)

2 Jefson Silva (São Sebastião)

3 Leco Salazar (Santos)

4 Wanderson Biludo (São Sebastião)

 

SUP WAVE

1 Luiz Diniz

2 Leco Salazar (Santos)

3 Wellington Reis (São Sebastião)

4 Leandro Alemão (São Sebastião)

Fonte: FMA NOTÍCIAS

 

Galeria de Imagens