IGM busca liderança no Hang Loose Surf Attack

Caio Costa, Hang Loose Surf Attack. Foto Caco Reis

No Hang Loose Surf Attack, Instituto Gabriel Medina busca liderança em 5 das 6 categorias em disputa

Publicidade

SOPHIA MEDINA TEM CHANCES DE GARANTIR INÉDITO TÍTULO POR ANTECIPAÇÃO

Daniel Adisaka.

Embalado com os excelentes resultados no Sebastianense de Surf, no último domingo, o Instituto Gabriel Medina (IGM) tem um importante compromisso a partir de sexta-feira (28) na 3ª etapa do Hang Loose Surf Attack, na Praia do Tombo, em Guarujá. A equipe com 24 competidores busca a liderança em cinco das seis categorias, com destaque para Sophia Medina, que chega invicta e com grandes chances de garantir, por antecipação, o inédito título da feminina, para seguir a trajetória do irmão mais velho, Gabriel Medina, acostumado a conquistas pioneiras.

Além da possibilidade da caçula dos Medinas erguer o troféu de campeã paulista no domingo, o time aparece com vários nomes de ponta. Atual campeão estadual sub16, Daniel Adisaka pode abrir caminho para o bicampeonato e ainda assumir a ponta na disputa acima, a sub18. Em ambas, ele é o vice-líder.

Outro atleta que chega com chances de ser líder em duas faixas etárias é Caio Costa, também na sub16 e na sub14. Nessa categoria, o IGM tem seis atletas entre os dez primeiros colocados. Caio é o vice-líder, empatado com Rodrigo Saldanha (cada um com uma vitória no Circuito); Fabrício Rocha é o quarto; Lucca Cassemiro é o sexto; Renan Rodrigues aparece na sequência; e logo depois, Sunny Pires.

Murillo Coura.

Já na sub12, o maior cotado é Murillo Coura, segundo colocado no ranking, e o time ainda tem Guilherme Fernandes, em quarto lugar, e Ryan Coelho, na nona posição, mas somando só uma etapa. Na feminina, Sophia Medina venceu as duas categorias; sua xará Sophia Gonçalves está na sétima colocação, enquanto que Júlia Duarte é a oitava, mas com apenas um resultado, ainda mantendo as chances de chegar ao caneco.

Na competição, que segue até domingo (30), a equipe do IGM também contará com Enzo Yagui, o mais novo e competindo na sub10; Camilly Oliveira; Davi Reina, Lúcio Rosário, Pedro Bianchini, que ocupa a 11ª posição na sub18; Kauai Lobato, Higor Souza, Sérgio Luan, Cauã Gonçalves, Guilherme Rocha e Eric Bahia. “Esse é um campeonato importante no nosso planejamento, com um nível técnico elevadíssimo, e vamos batalhar por bons resultados”, diz o diretor do IGM, Márcio Yagui.

Vale lembrar que no último domingo, o Instituto faturou cinco vitórias, colocou atletas em todas as finais, com 20 pódios e conquistou três títulos por antecipação na 3ª etapa do Sebastianense, na Praia de Cambury. Caio Costa, Murillo Coura e Júlia Duarte foram campeões gerais na sub18, sub12 e feminina, respectivamente. Os três também venceram nessas categorias, junto com Sunny Pires, na sub14, e Cauã Gonçalves, na sub16.

PRO JÚNIOR – Além dos 24 atletas competindo em Guarujá, o IGM terá três representantes no O’Neill Pro Junior, em Lobitos, no Peru, no sábado e domingo (29 e 30). Fernando Júnior, Heitor Duarte e Léo Barcelos disputam o título sul-americano da World Surf League (WSL) para surfistas com até 18 anos. Além disso, a competição garante quatro vagas para surfistas sul-americanos no Mundial da categoria este ano, na Ilha Taiwan.

Léo Barcelos.

“Com certeza, é um evento muito importante e vamos bem treinados”, afirma Fernando Júnior. “Nos preparamos no IGM para competir bem”, reforça Heitor Duarte. “Será mais uma competição importante para o nosso futuro e treinamos muito para isso”, complementa Léo Barcelos, que já está classificado para o ISA World Junior Championships, na Califórnia.

Criado do sonho do primeiro brasileiro campeão mundial de surf, o Instituto Gabriel Medina está instalado na Praia de Maresias e atende 30 atletas, dos dez aos 17 anos, oferecendo a mesma estrutura que o ídolo tem na parte técnica, física e médica. Tanto que o próprio Medina treina na sede quando está em casa. O projeto conta com vários benefícios como aulas de idiomas, atendimentos odontológico, fisioterápico e psicológico, natação, apneia, equipamentos para a prática do surf, como pranchas e roupas de borracha, custeio de viagens para competição e alimentação.

Fábio Maradei

FOTOS: ALEKO STERGIOU E CACO REIS/IGM