Etapa do Circuito ASN 2019 com nova data

Adiada primeira etapa do Circuito ASN 2019

Organização decidiu adiar o evento por conta das condições do mar

A primeira etapa do Circuito ASN 2019, que é apresentada pela Secretaria Municipal de Esporte e Lazer, estava agendada para este final de semana, 29 e 30 de junho. Mas após a diretoria da ASN junto com os representantes dos atletas analisar as previsões, e constatar que não terá boas condições em Itacoatiara, está decidido que o campeonato será adiado.

Com uma boa premiação em disputa a associação atende a uma das principais reivindicações dos atletas, que é competir em boas ondas. Os gráficos dos institutos meteorológicos indicam a entrada de duas ondulações na próxima semana, sendo que possivelmente teremos uma subida do mar no outro final de semana. A nova data para a abertura do Circuito ASN 2019 é nos dias 6 e 7 de julho.

Publicidade

As inscrições continuam abertas e custam R$80,00 (oitenta reais) até o dia 4 de julho, quinta-feira. Após esta data dependerá de disponibilidade de vaga e terá uma taxa extra de R$20,00. Devem ser feitas na lanchonete Puro Suco de Itacoatiara ou através de depósito ou transferência bancária para a Associação de Surfe de Niterói, conta corrente 15012-6, agência 0471, do Banco Bradesco (237), CNPJ 30.596.621/0001-40. A inscrição só será confirmada com o envio do comprovante para o email asnsurfe@gmail.comou via WhatsApp para 21 99804-5295. As categorias do Circuito ASN 2019 são Open, Mirim (Sub-16), Junior (Sub-18), Master (+35), Kahuna (+45), e Grand Kahuna (+50). Para pontuar no ranking da ASN o competidor terá que pagar a taxa anual de filiação no valor de R$80,00 (oitenta reais), e as vagas serão ocupadas preferencialmente pelos filiados.

O Circuito ASN 2019 tem patrocínios da Secretaria Municipal de Esporte e Lazer da Prefeitura de Niterói, Lanchonete Puro Suco, Hidden Bay Resort Mentawai, Pena, Nusa Tur, Túnel Crew, Mombak Fit, Water Life Resgate, Millennium Foam, Board Labs, André Cebola Shaper, Black Design e Pranchas Bou.

Por João José Macedo