Disputa entre cidades com premiação em dinheiro

Hang Loose Surf Attack. Foto Munir El Hage

Hang Loose Surf Attack

Para fomentar ainda mais a revelação e formação de novos valores, a Federação Paulista de Surf criou o ranking por cidades, oferecendo um prêmio de R$ 2.5 mil à equipe campeã da temporada no Hang Loose Surf Attack.

A primeira das quatro etapas do campeonato está confirmada de sexta-feira a domingo (28 a 30), na Praia de Maresias, em São Sebastião, reunindo mais de 230 atletas (com até 18 anos) de todo o litoral paulista, incluindo a capital, além de representantes de outros estados.

Na disputa por cidades, Ubatuba e São Sebastião aparecem como os grandes cotados, com Guarujá sendo a terceira força do Estado. Nos últimos seis anos, os sebastianenses levaram três títulos, em 2013, 2014 e na edição passada, impedindo o tri consecutivo dos ubatubenses, enquanto os guarujaenses levaram em 2015. Para este ano, a expectativa é de mais uma disputa acirrada, com os atuais campeões tendo a vantagem de começar a competir em casa.

Publicidade

“As expectativas são as melhores possíveis. O Hang Loose é sempre muito disputado, com nível técnico excelente. Por competir em São Sebastião, ficamos mais animados de garantir bons resultados individuais e também por cidades. A ideia é colocar atletas em todas as finais e garantir vitórias”, afirma o presidente da Associação de Surf de São Sebastião, Frank Constâncio, citando os campeões paulistas Caio Costa e Sophia Medina como grandes destaques.

Caio Costa – Foto: Munir El Hage

O técnico de Ubatuba e também da seleção paulista, Márcio Cebola, destaca o equilíbrio entre as equipes e também espera recuperar o primeiro lugar no pódio. “Com certeza, será bem acirrada. Perdemos alguns atletas importantes da sub18, porque estouraram a idade, mas Ubatuba uniu forças, está treinando e vamos chegar forte. Vamos exigir dos atletas disciplina, foco, seriedade, vontade e garra”, fala Cebola, que tem no time um dos principais nomes da nova geração, Ryan Kainalo. Outro destaque é Kailani Renno, campeão paulista sub10.

Guarujá também demonstra confiança em garantir uma nova conquista paulista. O presidente da Associação de Surf, Ademir Silva, cita o retorno dos treinos para os atletas, como um reforço. “Nos outros anos chegamos a incomodar Ubatuba e São Sebastião e agora queremos trabalhar para garantir títulos individuais”, comenta Ademir, colocando como nomes fortes do time, Luan Hanada e Samuel Alves, Yuri Beltrão e ainda a pequena Carol Bastides, que vem mostrando grande evolução.

Sophia Medina – Foto: Munir El Hage

Para o presidente da Federação Paulista de Surf, Silvio da Silva, o Silvério, a disputa por cidades é um grande estímulo para os atletas se empenharem ainda mais nas disputas e, consequentemente, evoluírem. “Temos um ambiente saudável de rivalidade, mas isso é um incentivo a mais”, afirma Silvério, lembrando que as baterias da etapa inicial já estão disponíveis no site da Federação, www.fpsurf.com.br.

Os atletas competem em seis categorias: júnior (sub18), mirim (sub16), iniciante (sub14), estreante (sub12), petit (sub10) e a feminina (sub16). Todas as disputas terão transmissão ao vivo pela internet, no site da Federação. Junto com o surf, o evento realiza várias ações para os jovens talentos, com jogos, gincanas, brincadeiras e sorteios. No total, serão quatro etapas, com Ubatuba sendo a próxima parada, nos dias 19 a 21 de julho. Na sequência, Guarujá, de 20 a 22 de setembro, e a final, em local a ser definido, de 25 a 27 de outubro.

O Hang Loose Surf Attack 2019 tem os patrocínios de Sthill, Super Tubes, Surf Trip, Kyw, Overboard Action Sports Store, Hot Water, Rhyno Foam e CT Wax. Apoios da Prefeitura de São Sebastião, Associação de Surf de São Sebastião (ASSS), Associação de Surf de Maresias (ASM), Governo do Estado de São Paulo/Secretaria de Esporte, Lazer e Juventude, com divulgação de Waves e FMA Notícias. Organização da Federação Paulista de Surf.

POR FÁBIO MARADEI