Destaques se apresentam no Circuito Santos de Surf 2017

Picuruta Salazar e Cisco Araña. Foto Divulgação

Alguns nomes dispensam apresentação no esporte. No surf, Picuruta Salazar é um deles. Orgulhoso de ser santista, sempre fala que levou o nome da Cidade para o Mundo competindo e mais do que isso, faturando títulos. Seu filho mais velho Leco também já propagou Santos com a conquista do mundial de Stand Up Paddle (SUP) Surf. Outro ícone que já fez história, como competidor e depois como educador usando o surf como ferramenta, é Cisco Araña.

Publicidade

Os três serão destaques na 3ª e decisiva etapa do Circuito Santos de Surf 2017, numa bateria mais do que especial, para atrair os fãs do esporte. Juntos com Cássio Sanches, o chamado ‘surfista de alma’, que ao invés das competições, tem como foco as viagens atrás das ondas perfeitas, eles participarão de uma demonstração, válida como homenagem aos atletas que levaram o nome de Santos mundo afora.

O evento tem o período de espera pelas melhores condições do mar, a partir desta segunda-feira (3), aguardando o dia ideal de ondas no Quebra-Mar. “Será um momento especial. Nosso Circuito é voltado para as categorias de base, para a revelação e formação de novos valores, e vamos levar grandes nomes revelados e formados em Santos que fizeram história. Uma grande interação, incentivo e um reconhecimento”, afirma o presidente da Associação Santos de Surf (ASS), Reginaldo Ferreira Lima Filho.

“São quatro ícones. O Picuruta, que dispensa apresentações, recordista de títulos, duas vezes vice-campeão mundial profissional de longboard, campeão mundial do ISA Games também nos pranchões; o Cisco, o cara que abriu as portas do surf competitivo na Cidade e depois foi pioneiro com o trabalho com escolas de surf e um trabalho fantástico, usando o surf com pessoas portadoras de necessidades especiais; o Leco, campeão mundial de SUP e o Cássio, que agora é nosso diretor social e investiu no freesurf”, argumenta Naldo.

Picuruta não esconde a satisfação do reconhecimento em pleno Quebra-Mar, diante da nova geração e da forma que mais aprecia, surfando. “Para mim, é uma honra receber essa homenagem da Associação Santos de Surf no templo sagrado do surf. Principalmente ao lado do meu filho, que eu criei, preparei e se tornou um campeão mundial e admiro muito”, ressalta o surfista, também conhecido como Gato, alusão ao animal que sempre cai em pé.

“E vou ter a oportunidade de ser homenageado surfando ao lado do meu brother Cisco, que foi um competidor muito forte, na década de 70, com meu irmão Lequinho, e seguiu adiante. Um excelente profissional, excelente professor, um cara fantástico”, elogia. “Não vejo a hora de entrar na água com o Cisco. Vamos relembrar grandes disputas”, acrescenta Picuruta.

Ele também enaltece Cássio, ressaltando a proximidade com o atleta. “Tive a oportunidade de leva-lo pela primeira vez ao Havaí. Tem um surf polido, clássico, diferenciado”, comenta. “Vai ser uma bateria histórica, que ficará marcada na minha vida. Será mais um capítulo importante. Um confronto de gerações”, diz o surfista, que aos 56 anos continua em plena atividade e mantém a sua escola de surf no Quebra-Mar.

Cisco também evidencia o encontro, sobretudo ao lado de Picuruta. “Acho que fomos realmente ícones. Vencemos muitos torneios estaduais, nacionais, regionais. Tivemos muitos rallys, mas superamos as diferenças quando amadurecemos. Eu o considero muito e é uma honra participar e sermos lembrados. Eu agora com 60 anos e ele quase, ainda pegamos muito bem onda”, fala Cisco.

Recentemente ele comemorou os 26 anos da Escola Radical, a primeira pública do País, em parceria com a Sthill, na Praia do José Menino, onde fez ações de vanguarda, como aulas para deficientes visuais. Agora, o novo projeto é uma escola de surf para pessoas com necessidades especiais. “Agora tenho o projeto Sonhando sobre as ondas, pranchas adaptadas para pessoas cegas e ou deficientes físicas”, complementa Cisco.

Fora do mar, coordenando a ação estará o experiente juiz de surf, Mauro Rabellé, que também levou o nome de Santos para o mundo, atuando nos palanques de grandes eventos e que também estaria bem credenciado a estar nessa bateria especial. Nos últimos anos, ele vem sendo o head judge do Mundial de Longboard, da World Surf League (WSL), sem dúvida um cargo importante e só ocupado por quem realmente entende do assunto.

“Conseguimos ter em nossa Cidade alguns dos maiores nomes do surf desde o início das competições. Picuruta e Cisco dispensam apresentações. Vitoriosos em tudo que se envolveram. Leco trouxe o título máximo mundial do Stand Up. Herança de família angariar títulos. Cássio vem de uma família de surfistas e preferiu ir para o freesurf radical. Será uma apresentação maravilhosa misturando juventude e experiência, no melhor que o surf tem para mostrar em suas variantes”, anuncia Rabellé.

Além da bateria demonstração, o evento terá a definição dos novos campeões santistas de 2017. A diretoria da ASS acompanha as previsões das ondas para definir a data das disputas. A competição será realizada num único dia, envolvendo as categorias petit (10 anos para baixo), a estreante (sub12), a iniciante (no máximo 14 anos), a mirim (até 16 anos), a júnior e a feminina (ambas com limite de 18 anos). Cada vencedor da etapa receberá um voucher da Savannah Steak House de R$ 150,00 para consumo no restaurante santista.

Por Fábio Maradei