Cauã Costa e Ryan Kainalo comandam os shows no Hang Loose Surf Attack

Cauã Costa. Foto Munir El Hage

Cauã Costa e Ryan Kainalo comandam os shows no primeiro dia da final do Hang Loose Surf Attack, na Praia do Tombo, em Guarujá

Publicidade

O domingo será de grandes e acirradas decisões na 4ª e última etapa do Nossolar apresenta Hang Loose Surf Attack 2017, na Praia do Tombo, em Guarujá. A competição começou neste sábado (21), reunindo 150 surfistas, divididos em cinco categorias. O cearense radicado no Rio de Janeiro, Cauã Costa, e o paulistano, que defende Ubatuba, Ryan Kainalo, comandaram os shows de surf no primeiro dia de disputas. Além deles, Daniel Adisaka, de Ubatuba, que acaba de voltar do Mundial Júnior, no Japão, e Júnior Siqueira, de Guarujá, fizeram bonito.

Cauã, líder do ranking da iniciante (sub14) foi o dono da melhor apresentação, com a maior nota, 9,75 pontos, e também a melhor média, com 18 pontos de 20 possíveis, numa performance muito próxima da perfeição. Ryan, que tenta o seu terceiro título seguido no Circuito e agora está na briga direta da estreante (sub12) surfou bem na sua faixa etária, também na iniciante e ainda na júnior (sub18).

Mostrou grande preparo, sobretudo pelas viagens pelo mundo, feitas com o seu pai, o também surfista Alex Miranda. Na estreante, Ryan garantiu a maior somatória, com 16,35 pontos, assim como na júnior, com 14,75. “Estou na briga pelo título da estreante e quero surfar bem e vencer”, resumiu o surfista de 11 anos, que já foi bicampeão petit(sub10). Na disputa pelo título da estreante, seu grande rival é Guilherme Fernandes, defendendo Ubatuba e que surfou muito bem neste sábado.

Na sub14, Cauã está surfando pela primeira vez no Tombo, se adaptou muito bem às ondas e logo em sua primeira bateria garantiu os recordes do evento. Bem mais alto que os meninos que enfrenta, tem 1m80 e acredita que o tamanho ajuda nas manobras. “Sou do estilo mais de aéreo, rasgada rabetada. Me inspiro no Jordy Smith. Estou torcendo por ele no WT”, comentou sobre o sul-africano, que assim como ele se destaca por sua altura.

“O Hang Loose é muito maneiro. Sempre quis vir para cá, mas não tinha vagas. Esse ano consegui e estou muito feliz de liderar o ranking”, complementou o surfista ade 14 anos, que nasceu no Ceará, aprendeu a surfar aos três anos de idade, com o pai, Arquimedes, e desde o ano passado mora no Rio de Janeiro.

Também na categoria iniciante, a disputa pelo título segue acirrada. Diego Aguiar, de Ubatuba, e Caio Costa, de São Sebastião, estão na briga direta e em busca de novos canecos nas carreiras. “Estou bem ansioso. Vai ser uma disputa boa, porque estamos colados no ranking. Seja o que Deus quiser”, afirmou Didi, que já foi campeão paulista petit e estreante. “Estou atrás da primeira vitória esse ano. Deixei escapar em casa, mas estou bem focado”, complementou Caio, atual campeão estreante.

Já entre os caçulas da petit, também tem promessa de grandes duelos. Os três primeiros colocados, empatados matematicamente, Murillo Coura Daniel Duarte e Ryan Coelho avançaram, mas a melhor nota foi do paranaense Anuar Chiah, com 15 pontos. Também merecem destaque Pedro Bianchini, de São Paulo, com 15,50, e o catarinense Guilherme Marques, com 15,15, na mirim; Daniel Adisaka, pelo time de Ubatuba, com 17,40, somando um 9,5, Junior Siqueira, de Guarujá, com 16,50, Fernando John John, de São Sebastião, com 15,25, e Ihgor Sant’Ana, de Guarujá, com 15,75, ambos na júnior.

Também neste sábado, o evento teve a presença ilustre de Jessé Mendes, líder do Mundial QS e já classificado para o WCT de 2018. O surfista está na história do Hang Loose Surf Attack com títulos. Começou a competir ainda aos seis anos de idade e fez toda a sua formação infantil e juvenil no surf competindo no Circuito. De folga no Tour e morador da Praia do Tombo, aproveitou para visitar o campeonato junto com o irmão Vitor Mendes.

O evento recomeça neste domingo, às 8 horas, com as baterias finais realizadas a partir das 13h. Quem não puder acompanhar as disputas na praia, tem a opção da transmissão ao vivo pela internet, pelo link hangloose.com.br/surfattack2017. Em paralelo às baterias no mar, o evento proporciona diversas brincadeiras, como pebolim, ping pong, futebol, ginganas e sorteios, além de pintura de pranchas e distribuição de frutas, nas tendas na areia. O objetivo é garantir que a garotada se divirta, tenha momentos de descontração quando não está competindo.

O Nossolar Construtora apresenta Hang Loose Surf Attack 2017 tem a organização da Federação Paulista de Surf, com patrocínios de Overboard Action Sports Store, Surftrip, Super Tubes e Hot Water. Copatrocínios de Rhyno Foam, CT Wax. Apoios:  Governo do Estado de São Paulo, prefeituras de Santos, Guarujá, São Sebastião e Ubatuba, Associação Santos de Surf, Associação de Surf de Guarujá, Associação de Surf de São Sebastião e Associação Ubatuba de Surf. Divulgação: Waves e FMA Notícias.

Fábio Maradei/ FMA Notícias.

Fotos Munir El Hage

Galeria de Imagens