Duelo entre Thiagos na segunda etapa do Pernambucano PRO/Am

Thiago Silva. Foto: Damangar
Thiago Silva no pódio. Foto: Damangar.
Público lotou a praia nesse evento válido pela segunda etapa do Circuito Pernambucano de Surf.
Num domingo de sol perfeito, a praia de Zé Pequeno em Olinda foi o palco da final da segunda etapa do Circuito Pernambucano de Surf PRO/Am.  Evento de primordial importância para os atletas que visam competir em eventos nacionais.

O público marcou presença e a praia ficou ainda mais bela repleta de famílias amantes do esporte.

Na tarde do domingo, muito energia positiva na homenagem aos que fizeram parte do nascimento do surf pernambucano e também àqueles que tem fomentado as novas gerações.  Sávio (Nana), Érico (Pranchas Astral), Arlindo, Tapola, Fábio Canelão, Pedro Mendes, Wladimir, Isac, Pastor Figura, Beto RR, Márcio Botelho, Maverick, Michel Pontes, Dario e Paulo (Litoral Norte) foram homenageados.

Publicidade

A vitória na categoria PRO/Am foi a mais emocionante

Homem a homem a bateria foi disputada por Thiago Silva e Thiago Pereira coma torcida bem dividida.  Thiago Pereira, conhecedor do pico sabia onde estavam as melhores ondas, mas se deixou vencer pela energia de Thiago Silva que a partir de sua segunda onda passou a impor o ritmo e conseguia decolar com facilidade das ondas de Zé Pequeno junto as pedras.

Vitória incontestável do local de Maracaípe, Thiago Silva

Entre os mais jovens da Sub 14, o bem humorado Erick Braw se mostrou muito à vontade com a vitória. Seu tamanho e peso faziam parecer que ele surfava ondas maiores. Jogou a rabeta com pressão para cima de Alex do Carmo que ficou em segundo lugar.

Na sub 16 venceu José Cláudio, totalizando uma média de 12.25 contra José Henrique que ficou em segundo com 10.95.  Soares Nascimento e Lucas Lisboa ficam em terceiro e quarto lugares respectivamente.

Desde o início da bateria o resultado parecia estar definido.  Poucas surpresas foram logo remediadas garantindo a vitória.

Na sub 18, show de Cauã Nunes que levou muita pressão de Lucas Lisboa. A diferença entre eles ficou de 0.90 pontos e muita vontade de vencer.

Essa geração do surf pernambucano tem mostrado um surf agressivo que se destaca em todas as competições e Cauã é de certo um das melhores expressões desse surf.

José Claudio em terceiro e Erick Braw em quarto

Falando em juventude.  A pequena jovem notável Nicole Santos venceu mais uma na categoria Feminino. Apesar de tão jovem, sobrepujou as mais experientes Natália, Gabriele Cavalcante e Duda Falcão, segundo, terceiro e quarto lugares respectivamente.

Na máster, mas uma vez a disputa foi entre as gerações da família Pereira.  Olindenses, conhecem como ninguém as ondas da praia de “Zépilaine”, como gostam de chamar o pico onde aconteceu o evento.

Júlio Pereira (14,25), mesmo com o pé machucado e enfaixado, foi para o mar e venceu seu pai, Fernando Pereira (10.20) por uma diferença de mais de 4 pontos. Realmente não pareceria que havia a contusão pois em nenhum momento deixou de empregar força nas manobras mesmo que para isso deixasse escapar algumas expressões de dor forte.
Jesuilton Traquino e Fernando Santos ficaram em terceiro e quarto lugares.

Já na sênior a vitória foi de Akira Júnior. Ele parecia estar quieto na bateria mais virou tudo nos minutos finais para subir ao ponto mais alto do pódio.

Destaque mais uma vez para Júlio Pereira que apesar de machucado, venceu na máster e ficou em segundo lugar na sênior.  Parabéns para todos incluindo Manoel Assis e Roberto Pino que ficaram em terceiro e quarto lugares.

Na categoria, Romualdo Nascimento apenas deu um passeio.  Combinando o clássico exigido sem deixar de ser arrojado e agressivo, Romualdo deixou todo mundo em situação complicada e necessitando de combinação de notas para alcança-lo. Vitória fácil de Romualdo Nascimento (14.25) contra Zé Luís (8.20), Adryan Pardo (6.25) e Taffarel Arruda (4.45).

A última bateria do dia foi da categoria Sup Wave.  Com uma pequena faixa de ondulação, é difícil controlar pranchas tão grandes passando perto de tantas pedras, mas foi esse o cenário da final.

Davi foi o melhor entre todos, deixando Luís Henrique em segundo, Paulo Farfan em terceiro e Bilu em quarto lugar.

Mesmo com ondas jogando para cima das pedras, Davi conseguiu se jogar para cima do pódio arriscando sua prancha para realizar mais do que as manobras básicas e ser o campeão.

O Olinda Adventure conta com o suporte da Secretaria de Turismo e Cultura através do Secretário João Luiz, da Secretaria de Esportes através do Secretário Chiquinho e o Prefeito de Olinda Professor Lupércio. Trazendo mais uma vez o surf pernambucano para a pauta da cidade que tem tradição neste esporte.

Agradecemos o patrocínio da Torque Construções e o apoio da Argo, Teccel, Krutchy, Overhall e Redbull.

A Realização é da Confederação Brasileira de Surf, Federação Pernambucana de Surf e Associação Nordestina de Surf.

Por FPS / Damangar.

Thiago Silva. Foto: Damangar.
Cauã Nunes por Damangar.
Público e estrutura – Foto: Damangar.
Prefeito Lupércio entrega premiação. Foto: Damangar.
Homenageados. Foto: Damangar.
Thiago Silva no pódio. Foto: Damangar.