O Bodyboard em pauta

Xandinha Ereiro

O Bodyboard paraense retorna para um período de crescimento no Estado, com uma nova geração de jovens praticando o esporte nas praias do litoral.
Os ‘bodyboarders’ começam a buscar o seu espaço nas ondas. Esse novo ‘boom’ no esporte aqui na região também trouxe vários adeptos do passado.

” É muito gratificante ver novos bodyboarders surfando hoje, e espero que continuemos a crescer cada vez mais. Iniciamos em 2017 um circuito visando divulgar ainda mais a prática e perpetuar este crescimento. Eu e a Jane Marçal estamos promovendo o Bodyboard Surf treino, e em 2018 continuaremos a incentivar a modalidade, principalmente a categoria iniciante, e hoje, sem claro deixar de prestigiar também os atletas amadores que estão na ativa. Estamos no início de mais um ano de trabalho e iremos logo em breve divulgar as datas dos eventos e e vamos continuar ‘plantando esta semente’ da melhor maneira possível, e dar um passo de cada vez, visando o fortalecimento de um circuitos regional, englobando varias categorias.

Lucas Ferreira
Adryane Nascimento
Projeto Bodyboard Pará
Publicidade

Todo o trabalho em torno do esporte esta sendo desenvolvido com amor e respeito, e é isso que nos move, e com isso procuramos fazer a diferença e mudar antigos conceitos para podermos evoluir cada vez mais. O objetivo é crescer positivamente em um ambiente de união, o Pará possui um vasto litoral recheado de praias, e isso facilita os treinos e o surgimento de novos atletas.

Projeto Bodyboard Pará
Projeto Bodyboard Pará

Projeto Bodyboard Pará

Estamos promovendo competições de Bodyboard dentro do Projeto Bodyboard Pará, com o objetivo de difundir e incentivar o esporte, e também, buscar cidadania e novas oportunidades para as crianças e para os jovens que participam do projeto.

Por: Alexandra Ereiro/ Craud.net
Fotos Divulgação: Fabrício Manduca, Denis Sarmanho, Jeremy Dias e Darcley Gouveia.

Saiba mais sobre o Bodyboard:
O ‘Bodyboard’ é diferente do surf tradicional, é um desporto onde o atleta desce a onda deitado ou de joelhos “dk”. A prancha possuem medidas indo de 37 a 43 polegadas em média e o tamanho deve ser compatível com o do praticante”. É necessários a utilização das nadadeiras, os chamados “pés de pato”, eles ajudam a entrar da onda e na execução de manobras, além de dar um maior equilíbrio e velocidade. Uma cordinha (‘leash’) para a segurança também é adquirida na compra da prancha, e uma ‘lycra’ e um ótimo protetor solar também são aconselháveis. Se puder ter instrutor capacitado, a evolução será mais rápida.

Márcio Borba