“Volume” das pranchas de surf: O que é e para que serve?

O volume é já um dos mais importantes dados na feitura de uma prancha de surf. Foto: DR

Um novo dado das pranchas de surf que conta muito… 

Publicidade

O “volume” das pranchas de surf foi, na verdade, até há bem pouco tempo um conceito meio vago. Por norma, os surfistas e os shapers usavam como parâmetros válidos apenas o tamanho, a largura e a espessura. O volume era algo referenciado de tempos a tempos e medido quase sempre “a olho”. 

De uns tempos para cá, o caso mudou de figura. A crescente introdução dos programas de design e o auxílio de outras ferramentas no computador, que fornecem cálculos super apurados do desenho das pranchas a produzir, fez com que o volume total da prancha fosse mais um dado a ter em conta pelo surfista. 

A importância do volume é simples e prende-se com a relação direta da flutuação da prancha de surf. A área, o comprimento e a largura, quando combinados, também influenciam na distribuição do volume na água e têm um largo impacto na flutuação da prancha. 

Assim, quando chega a hora de encomendar ou comprar um novo foguete, o volume é já parte essencial da equação. Na prática, o volume é medido em metros cúbicos (m³), mas o valor encontrado acaba por ser traduzido em litros (L). Mesmo para quem utiliza pés e polegadas, normalmente utiliza litros como padrão do volume. 

Pranchas pequenas podem ter de 18 a 30 litros de volume, longboards rondam os 75 a 90 litros e as pranchas de SUP podem chegar até 300 litros. Um dado interessante, por exemplo, fica por conta dos surfistas da elite mundial. A prancha média que o top 34 usa é uma 5’10.5”, 94% prefere squash tail e 70% dos tops presta muita atenção ao volume das suas “armas”. 

 Confere o vídeo para saber mais e também a tabela com as medidas mais abaixo. 

por Leonardo Maroja

fonte surftotal.com