Nicarágua

Juninho, Panga Drop. Foto: Fred Rozário

Considerada por muitos como a “joia” da América Central, a Nicarágua é um lugar incrível e super democrático, com várias opções de passeios para todos os gostos e, é claro, muito surf!  A melhor época de onda seria entre março e setembro. Mas, além das ondas, as paisagens e os vulcões são um espetáculo à parte. 

Maior país da América Central em área territorial, a moeda local é chamada de Córdoba e pode se encontrar ATM por toda parte para fazer retiradas em dinheiro, caso necessário, pois cartões são aceitos em todo o país.

Agora, é só juntar sua galera é fazer sua surf trip dos sonhos!

 

Beto Dias, Popoyo.

O expresso da Nicarágua.

Publicidade

O expresso da Nicarágua.

COMO CHEGAR

Existem algumas opções de voos e caso queira gastar menos terá que fazer mais escalas. É sempre bom aproveitar a mesma trip para curtir alguns dias em outro lugar, como El Salvador. 

Também vale muito a pena ficar dois dias em Sunzal. Ou você pode fazer escala pelo Panamá, Costa Rica e Lima.

Os preços variam de $450 até $750 e as empresas que fazem esse trajeto são Avianca, Copa e American Airlines. Esses pacotes podem ser fechados por empresas especializadas em surf trip.

A caça aos turistas.

A caça aos turistas.

ONDE SE HOSPEDAR

A Nicarágua é um lugar onde se encontra hospedagem de todos os tipos: pousadas, hostel e até casas de luxo para um grupo maior.

O melhor é escolher uma base fixa e fazer a busca pelas ondas de barco ou 4×4. Apesar das praias serem perto, muitas delas têm difícil acesso.

O local mais indicado seria Popoyo, pois existem pousadas com preço mais em conta e é a onda mais constante da região.

Uma segunda opção seria procurar flats super espaçosos dentro de Hacienda Iguana e Rancho Santana. Dependendo da quantidade de pessoas, o preço pode variar de $15 em hostel até $80 dividindo uma casa para um grupo maior.

Panga Drop.

ALIMENTAÇÃO 

Caso você fique em algum flat ou casa, a melhor opção é ir num mercado em Rivas, assim você mesmo pode preparar suas refeições.

Algumas pousadas fazem All Incluse e, se preferir, existem também  restaurantes, como Magnific Rock, com um visual que o próprio nome já diz, magnífico.

Betinho Dias. Los Perros.

O QUE LEVAR

Tudo vai depender do swell. Uma boa opção é levar uma 5’9” e outra 6’1”. Caso você vá com um grupo grande, sempre sobra uma prancha diferente para testar ou te salvar se o mar passar de 6 pés. Mas essa última opção somente se tiver muita sorte ou azar, se não gostar de ondas grandes!

Também não se esqueça do kit básico de surf, muito protetor solar e roupas bem leves, pois na Nicarágua faz muito calor, além de dinheiro extra para as saídas de barco, com preço médio de $250, podendo dividir com a galera.

E o que é muito importante e não pode faltar: a vacina de febre amarela.

Beto Dias. Panga Drop.

MELHORES PICOS

Existem vários picos muito conhecidos. Ondas de qualidade por receber vento terral o ano todo, destacando-se point breaks e beach breaks de esquerdas e direitas que funcionam em sua maioria na maré alta. O melhor pico depende do tipo de onda que você quiser pegar. 

Magnific Rock.

Algumas praias são bem privadas, como Rancho Santana e Hacienda Iguana, onde somente cadastrados ou convidados podem ter acesso pela estrada. Os picos mais conhecidos são Colorado, Popoyo, Outer Reef Popoyo,  Lances Left e o famoso Playgrounds. 

Para pegar onda em Colorado, Lances Left e Playgrounds, você precisaria de um barco. Na Playa Gigante, que fica logo depois de Hacienda Iguana, você encontra esse serviço. Uma dica seria chegar cedo para aproveitar antes de entrar o vento.

Juninho, Panga Drop.

LOCALISMO

O único lugar onde você pode ter algum tipo de localismo seria em Popoyo. Mas vai depender muito do seu comportamento dentro d’água. Fora isso, você não 
terá problemas.

O QUE FAZER QUANDO TÁ FLAT…

Existem vários passeios, mas o que chama mais atenção para os surfistas é o Volcano Board. O hostel Big Foot, que fica em Léon, faz saídas diárias para esse passeio.

Outra opção seria ir para San Juan Del Sur, onde  você pode encontrar bares, restaurantes e bastante diversão.

Panga Drop.

Texto: Luiz Miguel Pires Júnior / Fotos: Fred Rozário
Fonte Déborah Fontenellesurfar.com.br