CBSurf e WSL se reúnem no Surf Ranch e traçam planos olímpicos

Surf Ranch, Lemoore, Califórnia (EUA). Foto: Divulgação CBS.

Dirigentes da Confederação Brasileira de Surf são recebidos por Kelly Slater e membros da World Surf League na piscina de ondas do Surf Ranch

Surf Ranch, Lemoore, Califórnia (EUA). Foto: Divulgação CBS.
Surf Ranch, Lemoore, Califórnia (EUA). Foto: Divulgação CBS.
Publicidade

No último dia 20 de setembro, uma delegação da Confederação Brasileira de Surf (CBSURF), liderada pelo presidente Adalvo Argolo, foi recebida pela cúpula da World Surf League. O encontro aconteceu no “The Surf Ranch”, em Lemoore, Califórnia (EUA), onde foi construída a piscina de ondas idealizada por Kelly Slater.

De acordo com a Confederação, o objetivo da viagem foi atender a um convite da WSL para conhecer e experimentar a piscina de ondas. O fato é que um dia antes, mais precisamente no dia 19 de setembro de 2017, havia sido realizado o “The Test”, um evento experimental, organizado pela WSL para seus convidados, e que entrou para a história como a primeira competição oficial da WSL disputadas em ondas artificiais. Para os dirigentes da CBS, o “The Test” tem tudo para ser realizado novamente no ano que vem, como parte do calendário oficial da WSL.

Surf Ranch, Lemoore, Califórnia (EUA). Foto: Divulgação CBS.
Surf Ranch, Lemoore, Califórnia (EUA). Foto: Divulgação CBS.
Surf Ranch, Lemoore, Califórnia (EUA). Foto: Divulgação CBS.
Surf Ranch, Lemoore, Califórnia (EUA). Foto: Divulgação CBS.

Além do presidente Adalvo Argolo, a delegação da CBS foi composta por Rosaldo Cavalcanti, diretor de marketing e comunicação, e por Jorge Guimarães, o “Joinha”, novo membro do Conselho da entidade máxima do surfe brasileiro. Os três foram recebidos por uma comissão de representantes da WSL, composta pela inglesa Sophie Goldschmidt, a nova CEO da entidade; Joseph Carr, que acabou de assumir a posição de diretor de estratégia e será o responsável pela estratégia internacional da WSL; Jeff Bizzak, um dos mentores do projeto da piscina, e pelo próprio Kelly Slater, além de outros membros da cúpula da WSL.

Depois de desfrutar de uma recepção calorosa, os membros da delegação brasileira foram experimentar a piscina de ondas. Kelly Slater fez as honras da casa, colocou seu quiver de pranchas à disposição dos representantes da CBSURF e ainda deu algumas dicas sobre o funcionamento da piscina. “Depois de duas horas surfando, estávamos exaustos, mas muito felizes pela honra de experimentar a mais nova sensação do mundo do surfe. O resultado deste primeiro encontro foi uma aproximação oficial das duas entidades, algo que certamente irá render frutos em breve”, diz Adalvo Argolo.

Por volta das 5 da tarde, teve início a segunda fase da visita oficial. Reunidos numa sala, membros da CBSURF e representantes da WSL passaram cerca de três horas trocando ideias e elaborando planos para o futuro. De acordo com os dirigentes brasileiros, logo no início da reunião, a nova CEO da WSL fez questão de declarar: “Quero que vocês saibam que para nós, da WSL, o Brasil é prioridade, e que nós reconhecemos a CBSURF como a entidade máxima do surfe no Brasil”.

Entre outras ideias, a cúpula da WSL colocou as instalações do The Surf Ranch à disposição da entidade brasileira. “Além de ter colocado a piscina de ondas à disposição da CBSURF para que a futura equipe olímpica de surfe possa treinar durante sua preparação para disputar as Olimpíadas de Tóquio 2020, a diretoria da WSL pretende se reunir novamente conosco ainda este ano, para, juntos, traçarmos novos planos e assim firmarmos de vez esta nova e promissora parceria”, revela Rosaldo Cavalcanti.

Por waves.com.br