Brasileiro fica em quinto no Mike Stewart Pipeline Invitational 2017

Sócrates Santana no Mike Stewart Pipeline Invitational 2017. Foto Divulgação

No Havaí, brasileiro lidera baterias e conquista a quinta colocação em sua primeira etapa competindo o circuito mundial profissional da APB.

Publicidade

Sócrates Santana não para de surpreender os fãs de bodyboard mundo afora. Após dois títulos mundiais consecutivos entre os juniores nos últimos anos, o jovem de 18 anos brilhou em sua estreia no circuito mundial profissional da Association of Professional Bodyboarders (APB). Diante dos melhores do mundo da modalidade, o carioca avançou baterias e terminou na quinta colocação do Mike Stewart Pipeline Invitational 2017, North Shore, em Oahu, no Havaí. Foi a melhor colocação de um brasileiro na etapa deste ano.

Para chegar até a semifinal, fase na qual acabou superado, Sócrates avançou liderando suas baterias no round 5 e nas quartas de final. E a eliminação veio na última onda em disputa, com o basco Alex Uranga atingindo a nota necessária para se garantir na grande final. Na decisão, que aconteceu nessa segunda-feira, dia 6, o título ficou com o havaiano Jeff Hubbard.

Sócrates Santana e Guilherme Tâmega no Mike Stewart Pipeline Invitational 2017. Foto Divulgação

Ver a vaga escapar nos últimos segundos de bateria não desanimou Sócrates, muito pelo contrário. O fato serviu como experiência para o jovem, e a felicidade com sua performance aumenta a expectativa para a sequência do circuito mundial. “Minha alegria é imensa. Me preparei muito para estrear entre os profissionais, estava 100% focado na competição. Sabia que teria que mostrar muito trabalho para conseguir um grande resultado, e deixei uma excelente impressão em Pipeline”, comemorou.

Sócrates dominou os últimos dois anos entre os juniores, conquistando o troféu em 2015 e 2016. Os títulos fizeram com que a responsabilidade aumentasse para sua chegada no circuito profissional, mas a pressão não entrou no mar. Os tubos surfados nas ondas perfeitas de Pipeline logo no round inicial deixaram o carioca à vontade na meca do surfe, e, ao final, a sensação pós-estreia foi de dever cumprido.

“Senti que muita gente estava na expectativa de me ver competindo entre os profissionais. Na praia, percebi que estava rolando esse tipo de comentário. Achei legal (risos). Cheguei credenciado por dois títulos mundiais na categoria júnior, então achei natural essa expectativa. Encarei como uma motivação extra para competir, e me ajudou a provar que tenho qualidades para me dar bem também no circuito profissional. Fiz o que sempre fiz quando entro na água, caí para dentro das ondas para radicalizar minhas manobras”, contou.

Suporte de Guilherme Tâmega no Havaí

Seis vezes campeão mundial de bodyboard, Guilherme Tâmega sempre foi o grande ídolo e mentor de Sócrates Santana. Foi através do projeto social que o experiente bodyboarder tinha na praia de Copacabana que, em meados de 2008, o jovem iniciou sua trajetória na modalidade. Os anos se passaram, Tâmega se mudou de vez para o Havaí, Sócrates conquistou o mundo, e a parceria entre eles só aumentou.

Assim como em sua primeira experiência no Havaí, no ano passado, o bicampeão mundial contou mais uma vez com todo suporte de Tâmega. E isso foi fundamental para o bom resultado na primeira etapa de 2017. “O Guilherme é um cara fora de série, que me ajuda muito. Novamente, ele me recebeu da melhor maneira possível por aqui. Vim para o Havaí com antecedência, então tive tempo para me adaptar bem. Também tive a oportunidade de treinar e aprender muito com o Guilherme, e por isso consegui me sair bem”, explicou.

Sócrates Santana passará mais uma semana no Havaí, exatamente para seguir os treinamentos com Tâmega. No dia 14 deste mês, ele retorna ao Rio de Janeiro já pensando na próxima etapa do circuito mundial. Com janela do dia 22 de abril até o dia 4 de maio, a competição desembarca em Teahupoo, no Taiti, assim como Pipeline um dos principais palcos do surfe mundial. Sócrates chega na quinta colocação no ranking mundial.

Sobre Sócrates Santana

Sócrates Santana é natural do Rio de Janeiro, cria da comunidade Pavão-Pavãozinho, zona sul da cidade, e iniciou sua trajetória no bodyboard aos 9 anos de idade, no projeto social liderado por Guilherme Tâmega na praia de Copacabana. Após colecionar conquistas nacionais, incluindo o bicampeonato brasileiro sub-16 (2013 e 14), “Doutorzinho”, como é conhecido, ganhou o mundo em 2015 com a inédita conquista mundial na categoria júnior. Em 2016, a história se repetiu, e Sócrates Santana conquistou o bicampeonato mundial, então com 17 anos. A temporada 2017 marca a estreia do carioca no circuito mundial da Associação Profissional de Bodyboarders na categoria profissional.

Por Marketing Esporte Clube