Tratando queimaduras de Água Viva
Por Leonardo maroja
 


  Ataque de água viva. Foto National Geographic Television
   
 

Tratando queimaduras de Água Viva

Aqui vão algumas dicas e orientações certas para se tratar queimaduras ocasionadas por águas-vivas. A matéria originalmente foi divulgada pela Surfing & Health e traduzida no blog da Mormaii. 

Também conhecidas como medusas, as mais de 900 espécies existentes de águas-vivas são mais freqüentes no verão, quando a água do mar se encontra mais quente.

Estes animais são normalmente solitários, mas em alguns casos andam em grupos.

Ainda assim, felizmente a maioria das queimaduras de medusa não são sérias.

Os ferimentos causados por esses cnidários representam um alto índice de acidentes entre surfistas.

Para se ter uma idéia, a cada ano 130 milhões de turistas no mundo inteiro sofrem estes ataques, executados através de seus tentáculos urticantes chamados cnidócitos.

Para capturar a presa, o animal produz um túbulo urticante com veneno, chamado nematocisto, que é liberado quando os tentáculos entram em contato com um peixe ou uma pessoa.

No momento do contato, milhares de nematocistos são liberados afim de paralisar a presa.

SINTOMAS

Os ataques são mais comuns nas regiões das pernas e braços.

A toxina liberada pelo animal, em contato com a pele, causa ardência e dor intensa no local, que pode durar alguns minutos ou vários dias.

A área fica vermelha, com comichões e alguns vergões aparentes.

Segundo pesquisa da Centro de Informação Toxicológica de Santa Catarina, em 93% dos casos há dor, e em apenas 7% existe a formação de bolhas.

A seriedade depende da extensão da área atingida, do tipo de animal que atacou e das características da vítima.

Em casos mais graves podem ocorrer dores de cabeça, náusea, vômito, espasmos musculares, febre, arritmia cardíaca, suador, desmaio e até choques anafiláticos.

TRATAMENTO

Quando picado, remova qualquer tentáculo visível, evitando o uso dos dedos.

Use uma toalha ou pano, enxágüe com água fresca ou salgada, mas jamais use vinagre.

Bolsas de gelo podem ser necessárias para aliviar a dor e sensação de queimação.

No caso de sintomas mais graves e choques anafiláticos, procure um médico imediatamente.

Para remover os restos de nematocistos, aplique uma pasta de bicarbonato de sódio, pó de talco ou farinha e água do mar.

Espere secar e remova com a borda de uma faca.

Se persistirem os comichões, aplique pomada de hidrocortisona 4 vezes ao dia e tome uma ou dois comprimidos de 25 miligramas de difenidramina a cada 6 horas.

Essas medicações são vendidas sem prescrição médica.

Não dirija, nade ou surfe após essas tomar difenidramina, ela pode causar sonolência.

Para aliviar a dor, use analgésico.

PREVENÇÃO

Evite qualquer tipo de contato com medusas, em especial com os tentáculos.

Em alguns lugares como na região de Queensland e Gold Coast, na Austrália, algumas espécies de águas-vivas produzem venenos muito dolorosos e poderosos, capazes de matar uma pessoa.

Fonte: Surfing & Health, de Joel Steinman MD. Editora Meyer & Meyer Sport.

 

 

Últimas matérias:

» Tubarões no Recife
» Simpósio de Medicina do Surf em Portugal
» Ministério Público alerta sobre problemas ambientais em Maricá
» Alerta vermelho: Em 20 de agosto, humanidade excedeu orçamento da Terra para 2013
» Porquê a Poluição Oceânica prejudica mais os surfistas
» Trough The Lens á Série
» A História do Antológico Píer de Ipanema
» Alongar, por que?
» Ondas de Peniche produzem energia elétrica
» Descoberta onda de sonho no Japão
» Projeto Prancha de Surfe Ecológica
» Parceria protege as Tartarugas Marinhas
» Bike Sustentável Ecofriendly
» Nações do Pacífico lideram mudanças na conservação dos oceanos
» Tratando queimaduras de Água Viva
» O Surf Moderno e o Ancestral
» Jon Rose e um desafio para o W4W nos EUA
» Surfonomia quantifica o valor das ondas
» El Niño está de volta!
» Poderia a ASP e a BWWT Juntar Forças?
» Thomas Curren
» Eddie Iria
» James Cameron chega ao fundo da Fossa das Marianas
» Câmara aprova projeto
» Projeto científico irá melhorar ondas em Tenerife
» “Remando por um Mundo melhor”
» Trekking Cabo Froward
» Charles Brown cabra da peste paraibano
» Aquecimento global tornará Everest impróprio para escalar
» PigFish
» Nice tem a primeira praia com o título "sem tabaco" da França
» Pedalando em Mangue Seco
» 60 anos de história
» Intenso La Niña enfraquecerá nos próximos meses
» Indústria Brasileira de Artigos Esportivos mostra um crescimento a cada ano
» Visitando o Iguape
» Tubarões
» Surf - Surf, uma questão de cultura
» Pegadas Salgadas
» Baleia Jubarte resgatada na Austrália
» O FÁCIL E O DIFÍCIL
» Patagônia ameaçada
» O primeiro mapa da espessura do gelo Ártico e Antártico
» Sete motivos para você fazer uma viagem ao redor do mundo
» Meio ambiente em discussão
» Baleias encalham na Nova Zelândia
» La Niña deverá perder força mas persistir durante o inverno de 2011
» Próximo grande terremoto na Indonésia esperado nas Mentawais
» O filme da surfista que foi atacada por um tubarão.
» Karina Oliani: Radical ao Extremo
» Aparição de OVNIs assusta quatro comunidades
» Onda gigante destrói vilarejos
» Depois do Drop confere Mosqueiro
» Operação Prato 'Depois do Drop'
» O aquecimento global já pode ser sentido!
» 'O Missionário'
» Mudanças Climáticas e o juízo final
» Previsão de big swell frustra surfistas e curiosos em Salinas e Ajuruteua.
» NO OUTSIDE...
» Águas-vivas, caravelas, ouriços e outros animais...
» TUBARÃO NA POROROCA!
» SALINAS.
» A origem do nome "Mosqueiro"
» Fugindo do Stress
» Antes e Depois...

 

Depois do drop...