Julie Arissa já segue no surf dando exemplo de vida e de dedicação ao esporte

Julie Arissa é uma das grandes promessas do surf feminino catarinense. Foto: Basílio Ruy

Wiggolly Dantas apresenta Wizard Brasileiro de Surf Feminino em Ubatuba

Família catarinense vende empadas e faz rifas para filha revelação do surf poder competir no Wiggolly Dantas apresenta Wizard Brasileiro de Surf Feminino em Ubatuba.

Julie chegou ao Brasil aos três anos de idade.

Julie chegou ao Brasil aos três anos de idade. Foto: Basilio Ruy.

A pequena Julie Arissa é uma das grandes promessas do surf feminino catarinense e, sabendo disso, a família está disposta a buscar alternativas para que a atleta, de apenas nove anos, siga a sua trajetória.

Publicidade

A menina, que nasceu no Japão e que veio para o Brasil em 2011 para morar em Itapoá, já faz sucesso no Circuito Catarinense e tem tudo para melhorar suas performances.

No ano passado, Julie foi a quarta colocada da categoria sub10 no Wiggolly Dantas apresenta Wizard Brasileiro de Surf Feminino em Ubatuba, único campeonato exclusivo para as meninas. E agora, em 2017, a jovem surfista quer voltar para o litoral paulista para tentar a vitória.

Para isso, a família não poupa esforços e a mãe, Elaine Nemoto, está vendendo empadas caseiras e fazendo rifas para angariar a verba necessária para a viagem.

A jovem surfista quer tentar uma vitória no evento este ano. Foto: Basilio Ruy.

“Devido ao custo alto de viagens, tivemos de pensar em várias maneiras de viabilizar a ida aos campeonatos. Como algum tempo atrás, antes do surf, eu fazia empadas para ajudar no orçamento e, modéstia à parte, são maravilhosas, decidimos fazer campanhas para arrecadar dinheiro com a venda dos produtos, Além disso, fazemos rifas e sorteios”, conta a mãe Elaine, que também é professora de inglês e tem uma escola de idiomas em Itapoá.

Foto: Reprodução Facebook.

Foto: Reprodução Facebook.

A campanha de vendas de empadas tem ênfase neste feriado de 7 de setembro e já repercute no comércio e comunidade local, sendo também difundida pelas redes sociais e atraindo a atenção de nomes importantes, como de Jacqueline Silva, um dos grandes ícones da história do surf feminino brasileiro.

Jacque, que tantos anos representou o Brasil no WCT e chegou a ser vice-campeã mundial em 2002, compartilhou em sua conta a história sobre a venda de empadas, pedindo apoio ao novo talento.

Jacqueline é um dos destaques do evento, com o título brasileiro profissional em 2015 e o terceiro lugar no ano passado, e espera ver a “japinha” radical buscando uma vitória em Ubatuba. “Ajudem. Essa pequena atleta tem futuro, mas precisa ainda do apoio de todos”, comenta.

Elaine Namoto não esconde a ansiedade em conseguir seu objetivo. “Faço as empadas única e exclusivamente para angariar fundos para os campeonatos. Competir em Ubatuba é importantíssimo para nós. A Julie está muito feliz por ter a oportunidade de participar do evento”, destaca.

JacqueSilva torce pela jovem surfista. Foto: Alejo Stergiou.

JacqueSilva torce pela jovem surfista. Foto: Alejo Stergiou.

Julie chegou ao Brasil aos três anos de idade. Depois da tragédia do Tsunami no Japão em 2011. “Na época morávamos em Kani, na região central do país. Não fomos atingidos diretamente, mas a radiação não tem barreiras e é invisível. Vimos ao vivo pela TV japonesa. Foi assustador” Viemos para o Brasil exatamente um mês depois do Tsunami”, lembra Elaine.

A pequena atleta começou a surfar aos seis anos, no Projeto da Prefeitura de Itapoá, chamado Ampliação da Jornada Escolar. A paixão pelas ondas foi rápida e, depois que a iniciativa foi encerrada por falta de verbas, a mãe decidiu procurar professores para aulas particulares.

“Em dezembro de 2015, apareceu o convite para participar de um campeonato de surf de outro projeto, em São Francisco do Sul, chamado Escola na Onda, e ela ficou em terceiro lugar, competindo com os meninos. Depois disso, decidimos intensificar os treinos para que no ano de 2016 começasse a participar do Circuito Catarinense e ela terminou como vice-campeã sub12 e terceira na sub18”, conta orgulhosa a mãe.

Julie começou a surfar aos seis anos de idade. Foto: Basilio Ruy.

Também no ano passado, Julie participou do Brasileiro em Ubatuba, garantindo o quarto lugar na sub10. Ela é treinada pelo surfista Gabriel Castigliola e já incentivou o irmão mais novo, Brian Haru, de seis, a competir. “Estamos confiantes e animados. Eu sou muito grada a todos de Itapoá, que sempre compram nossas rifas, empadas e tudo mais”, enfatiza Elaine.

Inscrições para a  3ª edição do Wiggolly Dantas apresenta Wizard Brasileiro de Surf Feminino

O evento está confirmada para os dias 22 a 24 de setembro na Praia de Itamambuca e segue com as inscrições abertas.

Em disputa, o título brasileiro profissional Abrasp, a categoria longboard e também a nova geração com a sub10, sub12, sub14, sub16 e sub18.

Para garantir vaga é preciso fazer o depósito bancário em uma das contas correntes da Associação Brasileira de Surf Profissional, Abrasp:

BANCO DO BRASIL

Agência: 1569-5

Conta-corrente: 28382-7

BRADESCO

Agência: 3233

Conta-corrente: 85626-6

OBS: CNPJ 31.886.401/0001-14. Não serão aceitos depósito em caixas eletrônicos.

Nas categorias amadoras, a taxa é R$ 80,00. Na longboard é de R$ 100,00 e na profissional o valor é R$ 180,00. As atletas que forem competir na profissional também devem pagar a filiação à Abrasp no valor de R$ 100,00.

Os comprovantes deverão ser enviados para o e-mail femininoubatuba@gmail.com. Informações via whatsApp (21) 99140-9715 com Pedro Falcão e (51) 8187-7883 com Klaus Kaiser.

Wiggolly Dantas apresenta Wizard Brasileiro de Surf Feminino tem os patrocínios da Wizard by Pearson, Ganache de Cacau Le Manjue, Comtur e Roxy. Apoios de Alma Salgada, Pistache Gelateria, Prefeitura Municipal de Ubatuba, Perfect Waves, Escola de Surf Suelen Naraísa, API Automated Precision, Mini Kalzone, Nossolar Construtora, PoiPoi Swimwear, Brasis-55 e Padaria Integrale.

Colaboração: Equiptecnica Produções, Adventure TV, Abrasp, Federação Paulista de Surf, Hotel São Charbel, Silva Indaia Supermercados, Pro-Lite, Pro Foam, Reabilitação Esportiva Sérgio Nery e Normandie.

Por surfar.com.br