‘Free surf’ no Olho D’ água entre amigos

A equipe Campeã do Pará, trouxe em sua bagagem muito mais do que prêmios e troféus. Foto (frame) Denys Sarmanho/ Craud.net

Galera do Pará se diverte no Olho D’água depois de passar o final de semana competindo em São Luis.

Publicidade

No início de abril, 01 e 02, viajei com quatro atletas que treinam regularmente comigo aqui na praia do Atalaia, para participar da 1ª etapa do Circuito ASBOA de Surf Pro- Am, que foi realizado na praia do Olho D’água, em São Luis do Maranhão. Na ocasião aproveitamos para manter um vínculo maior, e um excelente intercâmbio com os atletas da Associação de Surf e Bodyboard da praia do olho D’água, visando aprimorar nosso surf e nosso conhecimento do local, e também entrar no ritmo de competição para participarmos das competições que iriam acontecer em Salinópolis (1ª Etapa do CBSurf, e 1ª Etapa da ASPAS).

Vista da Sede da ASBOA para a praia do Olho D’água. Foto Denys Sarmanho/ Craud.net
Gabriel Correa possui um ‘backside’ preciso, lapidado nas direitas do Farol Velho, em Salinas. Foto Denys Sarmanho/ Craud.net
Nayson Costa é considerado pelos locais do Olho D’água como um irmão. Foto Denys Sarmanho/ Craud.net

Estavam lotados na barca os atletas: Nayson Costa, Felipe Nóbrega, Rafael Correa e Gabriel Correa, sendo que os dois últimos já vinham fazendo comigo um trabalho voltado diretamente para o aprimoramento de manobras, posicionamento e técnicas de competição.

Fomos muito bem recebidos na sede da ASBOA por alguns membros da sua diretoria, e como já era tarde da noite, fomos convidados a dormir na sede da entidade. Nos primeiros raios de sol, acordamos com um visual alucinante da praia do Olho D’água, e para melhorar ainda mais o astral da galera, fomos brindados com um swell de meio ‘metrinho’ alinhado. Como estávamos bem em frente a bancada do evento, aceleramos o café da manhã, e praticamente fomos os primeiros a entrar na água e curtir as ondas perfeitas que quebravam no ‘beach break’, com a maré jaz em seu ciclo de enchente.

Rasgadas como esta mostram a técnica apurada do surf de Rafael Correa. Foto Denys Sarmanho/ Craud.net
Felipe Nóbrega foi guerreiro na Junior em uma final de poucas ondas, mas fez sucesso absoluto com a Cocada Suprema. Foto Denys Sarmanho/ Craud.net

Por volta das dez horas, e com séries maiores chegando a 1,0 metro de altura, a competição teve início. Focamos em fazer o melhor possível em nossas performances, conseguindo os seguintes resultados na competição:

Nayson Costa- Campeão da categoria Open (líder do ranking ASBOA 2017- Open)
Rafael Correa- Vice Campeão da categoria Open (Vice-líder do ranking ASBOA 2017- Open)
Gabriel Correa- Campeão da categoria Iniciante (líder do ranking ASBOA 2017- Iniciante)
Felipe Nóbrega- 3º Lugar na categoria Junior (terceiro do ranking ASBOA 2017- Junior)
Denys Sarmanho- Campeão da categoria Grand Master (líder do ranking ASBOA 2017- Grand Master)

Denys Sarmanho, motorista, técnico, atleta e fotógrafo da barca. Foto sarmanho im@ges/ Gabriel Correa
Segunda feira sem stress na capital do reggae. Foto Denys Sarmanho/ Craud.net

A confraternização rolou com toda a galera da ASBOA, e com a maioria dos competidores locais. Sentimos um astral muito grande de todos os presentes, apesar de sermos do Pará e conseguirmos três, dos cinco títulos em jogo, os locais comemoraram junto conosco essa vitória, realmente me senti em casa e super bem acompanhado. O presidente da ASBOA, Rogério Verde, o Naldo da organização, a comissão técnica e toda a sua diretoria, foram muito receptivos conosco e nos ajudaram no que foi possível. Iremos certamente voltar para a segunda etapa, e prestigiar este trabalho que vem sendo feito com bastante amor e dedicação pela ASBOA, na praia do Olho D’água, visando a evolução do surf em águas maranhenses.

Na segunda- feira rolou um ‘free surf irado’, com poucos locais, e novos amigos, dentre eles, o ‘tico’ e o ‘churrasquinho’, que também nos deram a maior força em nossa estadia na ilha. As ondas continuavam quebrando com ótima formação, algumas chegavam á meio metro de altura e a diversão foi garantida. Direitas, esquerdas, batidas, rasgadas, reverses, aéreos e cut backs sem compromisso. Meus dois ‘brothers’ da Pororoca, Eduardo Salomão e Josemar de Jesus, vieram fazer esse ‘free surf’ conosco, além do Rogério Verde e alguns locais. Foi uma ‘trip’ show de surf, e de imagens do pico, e que vai ficar na memória, realmente não contávamos com tanta simpatia e o apoio dos locais, o que foi fundamental para o sucesso da viagem.

O Bodyboard já é uma modalidade de expressão na capital maranhense, possuindo muitos adeptos, na foto um B.N.I. Foto Denys Sarmanho/ Craud.net
Tico, local do Olho D’água, recepcionou a galera, abriu as portas do pico, mas sempre vinha nas melhores. Foto Denys Sarmanho/ Craud.net

O surf em São Luis cresce e evolui diariamente, junto com a modalidade do Bodyboard, que também esta forte no litoral maranhense. Novos adeptos aparecem a todo instante, e o mercado se aquece com toda essa movimentação em torno dos esportes radicais. A vantagem, em comparação com o Estado do Pará, é que eles tem as praias  localizadas a poucos quilômetros do centro da capital, uma diferença gritante em relação aos surfistas paraenses que moram em Belém, e tem que rodar 210 km para surfar em Salinópolis.

Foi assim que rolou nossa trip, vou ficando por aqui. Obrigado as pessoas que prestigiam nosso trabalho no site. Estamos aqui fazendo o possível, dentro de nossas limitações, para manter a informação acesa na beira da praia.

Eduardo Salomão, um brother das antigas que surfa a pororoca do Arari, liberou o pico pra galera. Foto Denys Sarmanho/ Craud.net
Olho D’água, São Luis MA. Foto Denys Sarmanho/ Craud.net

Voce pode conferir mais imagens do ‘free surf’ da galera do Pará, em São Luis, registrados na segunda feira, logo abaixo na galeria de fotos.

Fica aqui meus agradecimentos mais do que especiais a Maroja Advogados Associados, ao Dr. Sena, ao Jefferson, ao vereador Vanderson do Gás, ao Culinarista Kennedy, a Cocada Suprema, a ASPAS, a ASBOA, ao Site Craud.net, e a todos que de uma forma ou de outra colaboraram e contribuíram para a realização desta ‘trip’, sem voces nada disso teria se tornado uma realidade.

Clique aqui e leia a matéria completa sobre a 1ª Etapa do Circuito ASBOA

Texto e fotos Denys Sarmanho/ sarmanho im@ges

Galeria de Imagens